Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas da Doença de Addison

Os sintomas da doença de Addison pode surgir de forma gradual, sendo normalmente caracterizada pelo aumento na vontade de consumir sal, cansaço excessivo, fraqueza muscular, dor muscular e nas articulações e alterações da pigmentação da pele.

A doença de Addison acontece quando a glândula adrenal ou suprarrenal possui alterações na sua função, levando à diminuição da produção de hormônios. O tratamento deve ser feito durante toda a vida, sendo normalmente indicado pelo endocrinologista o uso de corticoides e a reposição hormonal. Conheça as causas e o tratamento para a doença de Addison.

Localização das glândulas adrenais
Localização das glândulas adrenais

Principais sintomas

Os sintomas da doença de Addison normalmente surgem aos poucos, de acordo como a doença se desenvolve, mas também podem aparecer de forma repentina, sendo os principais:

  • Fraqueza muscular;
  • Alterações da pigmentação da pele que escurecem as mãos, rosto, joelhos e cotovelos;
  • Emagrecimento sem causa aparente;
  • Perda do apetite;
  • Mal estar gastrointestinal como náuseas, vômitos e diarreias;
  • Queda da pressão ao levantar-se, sensação de tontura;
  • Queda de cabelo:
  • Dor abdominal;
  • Vontade excessiva de comer sal, já que há grande perda de sal na urina;
  • Febre;
  • Náuseas;
  • Fadiga;
  • Dor muscular e nas articulações;
  • Alteração no nível da consciência;
  • Diminuição da libido;
  • Alteração no ciclo menstrual, no caso das mulheres;
  • Perda de pêlos no corpo.

O tratamento da doença de Addison é estabelecido pelo endocrinologista de acordo com os sintomas apresentados pelo paciente, devendo o tratamento ser feito durante toda a vida, pois essa doença não tem cura. Normalmente é indicado o uso de medicamentos corticoides e da terapia hormonal para equilibrar o nível dos hormônios no organismo.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da doença de Addison normalmente é feito em estágios mais avançados da doença, pois o desgaste das glândulas adrenais na maioria das vezes ocorre de forma gradual, não havendo a manifestação de muitos sintomas inicialmente.

O diagnóstico é feito pelo endocrinologista por meio de exame clínico, em que são observados os sintomas apresentados pelo paciente, seguido de exames laboratoriais e de imagem. O exame de sangue solicitado tem como objetivo verificar a concentração de sódio e potássio no sangue, além de verificar a quantidade de leucócitos e linfócitos circulantes. Além disso, pode ser realizado o teste de estimulação do ACTH, em que é dosada a concentração de cortisol antes e depois da aplicação da injeção de ACTH sintético.

Em relação aos exames de imagem, podem ser solicitadas tomografia computadorizada e ressonância magnética para avaliar as glândulas adrenais.

Diagnóstico diferencial

Os sintomas da doença de Addison podem ser confundidos com outras doenças, por isso é importante que sejam realizados o máximo de exames possíveis que permitam a diferenciação das diversas condições. Normalmente é feito o diagnóstico diferencial para tumores hipofisários, pois esse tipo de tumor pode levar a alterações na produção do hormônio ACTH, podendo resultar em sintomas semelhantes à doença de Addison.

Além dos tumores hipofisários, é feito diagnóstico diferencial para tuberculose, sarcoidose hipofisária, vitiligo e doenças crônicas de pele, pois também podem cursar com hiperpigmentação de algumas regiões do corpo.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...