Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como saber se é Cefaléia em Salvas

Para saber se é cefaleia em salvas deve-se ficar atento aos sintomas característicos dessa doença e ser avaliado por um neurologista. Por ser uma doença rara nem todos os médicos conhecem ou sabem tratar a cefaleia em salvas e por isso o diagnóstico pode demorar para chegar.

Informar ao médico exatamente o que sente é fundamental para que a dor de cabeça não seja tratada como uma simples enxaqueca, porque o tratamento destas duas doenças são diferentes.

Como saber se é Cefaléia em Salvas

Sintomas e características da cefaleia em salvas

Os sinais e sintomas da cefaleia em salvas são:

  • Dor lancinante num lado da face, que surge de uma hora para outra; 
  • Vermelhidão no olho do lado afetado;
  • Nariz escorrendo na narina do lado afetado;
  • Lacrimejamento excessivo do olho, do lado afetado;
  • Inchaço em volta do olho, do lado afetado;
  • Dificuldade em abrir completamente o olho, do lado afetado;
  • A expressão da pessoa é de intensa dor;
  • A dor pode ser latejante e a pessoa queixa-se de que parece que há uma faca na cabeça;
  • Não se sabe quando um período de crise irá iniciar;
  • A dor pode durar de 15 minutos a 3 horas, mas o mais comum é que dure até 40 minutos;
  • A dor de cabeça é incapacitante e, por isso, o paciente não consegue exercer nenhum tipo de atividade;
  • A dor é mais frequente durante à noite e surge 1 a 2 horas após deitar;
  • Após a diminuição da dor, permanece um desconforto por algum tempo na região afetada.

Antes de ser diagnosticado a pessoa pode duvidar se está tendo um AVC ou um tumor cerebral, devido a intensidade dos sintomas. Nenhum analgésico é eficaz e pode aliviar esta dor de cabeça, somente os medicamentos indicados pelo médico podem ser úteis para diminuir o tempo de um episódio de dor de cabeça e encurtar um período de crise que pode durar 20 dias.

A cefaleia em salvas manifesta-se através de uma característica fundamental que é o surgimento dos sintomas, 2 a 4 vezes por dia, durante um período de 2 a 3 semanas no ano. Após cessar a última dor de cabeça, a crise desaparece por meses ou anos. Assim a pessoa pode ter 3 ou 4 momentos de intensa dor de cabeça, totalmente incapacitante, por dia, durante cerca de 20 dias e depois as dores podem desaparecer completamente durante 1 ano ou mais, até que haja um novo surto.

Dferenças da cefaleia em salvas da enxaqueca

EnxaquecaCefaleia em Salvas
Afeta mais mulheresMais comum em homens
Alimentos e luminosidade pioramNão interferem
Ficar quieto ajuda a melhorarA pessoa não consegue ficar quieta
A dor permanece por diasA dor cessa depois de 40 minutos
A dor é difusaA dor afeta apenas 1 lado da face
Surge na adolescênciaSurge por volta dos 30 anos
Analgésicos combatem a dorAnalgésicos não cessam a dor
Pode surgir várias vezes ao anoAs crises são de 2 a 3 vezes ao ano
Dormir alivia a dorA dor pode começar durante o sono
Vermelhidão nos 2 olhosVermelhidão em só 1 olho
Não há secreção nasalUma narina fica sempre escorrendo durante a dor

O que fazer para combater a dor

Não existe nenhum tratamento que seja totalmente eficaz e que elimine completamente a dor, nem o período de crise, mas existem remédios e estratégias podem ajudar a se sentir melhor:

No momento da dor pode-se recorrer a:

  • Usar máscara de oxigênio à 100% durante cerca de 10 minutos quando a dor começar, isso reduz a tempo de dor para menos de 10 minutos, trazendo um grande alívio para a pessoa;
  • Usar medicamentos em forma de spray nasal ou comprimido que se dissolve em baixo da língua por serem mais eficazes que os comprimidos comuns. Alguns exemplos são ergotamina ou cloridrato de lidoicaína em gotas nasais;
  • Colocar um saco de gelo na cabeça e manter-se em movimento ou sentado com os pés dentro de um balde com água quente;

Durante os dias em que está em crise:

Tomar os remédios indicados pelo neurologista, como:

  • Sumatriptano; Prednisona + verapamil; Metisergida; Lítio ou ácido valpróico.

A acupuntura pode ser uma boa opção para combater o estresse, a ansiedade e reequilibrar a pessoa durante as crises, melhorando como ela se sente entre cada episódio de dor. As sessões podem ser realizadas em dias alternados ou diariamente e dependendo de como a pessoa está podem ser utilizadas várias agulhas localizadas na cabeça, no tronco e nos pés. Algumas doem mais que outras mas é suportável e o tratamento melhora o bem-estar.

Quando as crises são muito próximas uma da outra e a pessoa não consegue manter uma boa qualidade de vida e não pode trabalhar, se não tiver encontrado melhora dos sintomas com todos estes medicamentos, o neurologista pode indicar que seja realizada uma cirurgia no cérebro que pode ser útil para cessar as crises. No entanto, esta deve ser a última abordagem porque é arriscada.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...