Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Síndrome Alcoólica Fetal: sintomas, como reconhecer e tratar

A síndrome do alcoolismo fetal, também conhecida como síndrome alcoólica fetal, acontece quando a mulher consome bebidas alcoólicas em excesso durante a gravidez, resultando em atraso no desenvolvimento físico e mental no bebê.

O álcool passa pela placenta e chega até o feto causando alterações no sistema nervoso central do bebê, que não podem ser revertidos, além de afetar gravemente os seus órgãos, gerando consequências como os problemas físicos e emocionais, problemas cognitivos e comportamentais. 

Geralmente, os recém-nascidos com síndrome do alcoolismo fetal são pequenos para a idade gestacional e apresentam algumas características como microcefalia, lábio superior fino e nariz curto, além de alterações de comportamento cognitivo e psicossocial e retardo mental. 

A síndrome do alcoolismo fetal (SAF) não tem cura mas podem ser utilizados recursos como a fisioterapia, remédios ou cirurgia para diminuir ou tratar alguns problemas, como doenças cardíacas, hiperatividade ou falta de memória, quando estas encontram-se presentes.

Síndrome Alcoólica Fetal: sintomas, como reconhecer e tratar

Sintomas da síndrome do alcoolismo fetal

As características da síndrome do alcoolismo incluem:

  • Dificuldade em aprender;
  • Problemas na linguagem;
  • Dificuldade para socializar com outras pessoas;
  • Problemas de memoria a curto prazo;
  • Incapacidade para perceber instruções complicadas;
  • Dificuldade para separar a realidade do mundo imaginário;
  • Hiperatividade ou deficit de atenção;
  • Dificuldades de coordenação.

O diagnóstico da síndrome do alcoolismo fetal pode ser feito através da observação dos sintomas e comportamento da criança. Porém, também pode ser recomendado fazer exames de diagnóstico, como ressonância magnética ou tomografia computadorizada para confirmar problemas de desenvolvimento mental, por exemplo. O diagnóstico não é fácil e depende da experiência do pediatra, mas a confirmação do consumo excessivo de bebidas alcoólicas na gestação pode ajudar a chegar ao diagnóstico. 

A mulher que teve um bebê com esta síndrome, se engravidar a seguir poderá ter uma gestação saudável se não consumir álcool durante a gestação. 

Síndrome Alcoólica Fetal: sintomas, como reconhecer e tratar

Tratamento para síndrome do alcoolismo fetal

O tratamento para a síndrome do alcoolismo fetal depende dos sintomas de cada criança, mas, normalmente, todas as crianças necessitam ser acompanhadas por psicólogos e outros profissionais, como terapeuta ocupacional ou terapeuta da fala, para aprenderam a interagir com os outros.

Assim, as crianças com síndrome do alcoolismo fetal devem frequentar escolas adaptadas para receber crianças com necessidades especiais, onde podem ter mais oportunidades para se desenvolver intelectualmente.

Além disso, alguns problemas, como doenças cardíacas, podem necessitar de ser tratados com a ingestão de remédios e cirurgia, de acordo com as indicações do pediatra.


Bibliografia

  • ALVES, Flávia Kayana Santos. Síndrome Alcoólica Fetal. Monografia apresentada ao Curso de Graduação em Biomedicina, 2016. Faculdade São Lucas.
Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem