O que você precisa saber?

Como identificar e tratar a síndrome de kluver-bucy

A Síndrome de Kluver-Bucy é uma alteração cerebral rara que surge de lesões nos lobos parietais, resultando em alterações de comportamento relacionadas com a memória, interação social e funcionamento sexual.

Geralmente, esta síndrome é causada por fortes pancadas na cabeça, no entanto, também pode acontecer quando os lobos parietais são afetados por uma doença degenerativa, como Alzheimer, tumores ou por infecções, como herpes simplex.

Embora a síndrome de Kluver-Bucy não tenha cura, o tratamento com alguns remédios e terapia ocupacional ajuda a controlar os sintomas, permitindo evitar alguns tipos de comportamentos.

Como identificar e tratar a síndrome de kluver-bucy

Principais sintomas

A presença de todos os sintomas é muito rara, no entanto, na síndrome de Kluver-Bucy é comum um ou mais comportamentos como:

  • Vontade incontrolável para colocar objetos na boca ou para lamber, mesmo em público;
  • Comportamentos sexuais bizarros com tendência em procurar prazer com objetos incomuns;
  • Ingestão incontrolável de alimentos e outros objetos inapropriados;
  • Dificuldade para demonstrar emoções;
  • Incapacidade para reconhecer alguns objetos ou pessoas.

Algumas pessoas podem ainda apresentar perdas de memória e dificuldades em falar ou compreender o que lhes é dito.

O diagnóstico da Síndrome de Kluvert-Bucy é realizado por um neurologista, através da observação dos sintomas e exames de diagnóstico, como TAC ou ressonância magnética.

Como é feito o tratamento

Não existe uma forma de tratamento comprovada para todos os casos de síndrome de Kluver-Bucy, porém, é recomendado que a pessoa seja assistida nas suas atividades diárias ou participe em sessões de terapia ocupacional, para aprender a identificar e interromper comportamentos menos adequados, especialmente quando está num local público.

Alguns remédios utilizados para problemas neurológicos, como a Carbomazepina ou Clonazepam, também podem ser indicados pelo médico para avaliar se ajudam a aliviar os sintomas e a melhorar a qualidade de vida.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...