Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Síndrome de Conn

A Síndrome de Conn é uma doença rara que afeta as glândulas supra-renais, que são pequenas glândulas triangulares situadas acima dos rins, que leva ao aumento excessivo do hormônio aldosterona, aumentando a pressão arterial.

A superprodução de aldosterona provoca a retenção de sódio nos rins e aumenta a excreção de potássio, provocando o acumulo de água no organismo, aumento da pressão arterial e aumento de pH no sangue.

A Síndrome de Conn tem cura e deve ser diagnosticada cedo, pois é uma causa de problemas de hipertensão arterial que pode levar a problemas cardiovasculares. O endocrinologista é o médico especialista indicado para diagnosticar e indicar o tratamento desta doença.

Tratamento da Síndrome de Conn

O tratamento da Síndrome de Conn tem como objetivo controlar a produção de aldosterona, normalizar a pressão arterial e equilibrar os níveis de sódio e potássio no organismo.

Se o excesso de produção de aldosterona for devido a tumor benigno ou maligno nas glândulas adrenais, a glândula afetada deve ser retirada por cirurgia. Este procedimento em maior parte dos casos cura a doença, mas alguns pacientes podem precisar de tratamento adicional para controlar a pressão arterial. Até o momento da cirurgia, os pacientes devem tomar diuréticos para controlar os níveis de sódio e potássio no organismo e a pressão arterial.

Nos casos em que a causa da produção de aldosterona não é possível de ser determinada ou quando há hiperplasia das glândulas supra-renais, os pacientes devem tomar espironolactona, que bloqueia a ação da aldosterona, e medicamentos anti-hipertensivos. Em alguns casos pode ser necessário tomar medicamentos,como amilorida ou triantereno, para reter o potássio nos rins.

Sintomas da Síndrome de Conn

Os sintomas da Síndrome de Conn são raros e não muito específicos, podendo ser:

  • Hipertensão arterial;
  • Aumento da vontade de urinar;
  • Muita sede;
  • Fraqueza;
  • Fadiga;
  • Paralisia;
  • Palpitações;
  • Dor de cabeça;
  • Contraturas musculares;
  • Sensação de formigamento.

O diagnóstico da Síndrome de Conn deve ser feito com base nos sintomas típicos de falta de potássio no organismo, como prisão de ventre, arritmia cardíaca ou espasmos musculares, e pelos níveis elevados de pressão arterial. Para completar o diagnóstico deve ser feito um exame de sangue para verificar os níveis dos hormônios aldosterona e renina. Este último hormônio é produzido nos rins e estimula a produção de aldosterona nas glândulas supre-renais. Os níveis de renina na síndrome de Conn normalmente estão baixos, enquanto que os níveis de aldosterona estão muito altos.

Causas da Síndrome de Conn

As principais causas da Síndrome de Conn são a presença de um tumor benigno ou câncer em uma das glândulas supra-renais, ou a hiperplasia das duas glândulas supra-renais, também chamado de hiperplasia adrenal bilateral, que leva ao aumento do tamanho das glândulas e produção em excesso de hormônios. Alguns pacientes têm a produção de aldosterona aumentada devido a problemas genéticos.

Links úteis:

Mais sobre este assunto:


Carregando
...