Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Síndrome da Redução Genital (Koro): o que é, principais sintomas e como é o tratamento

A Síndrome da Redução Genital, também chamada de Síndrome de Koro, é um transtorno psicológico em que a pessoa acredita que seus órgãos genitais estão diminuindo de tamanho, o que poderia resultar em impotência e morte. Esta síndrome pode estar vinculada a transtornos psicóticos e culturais, o que pode ter levar a inconsequentes, como amputações e suicídio.

A síndrome da redução genital é mais comum em homens a partir dos 40 anos, com auto-estima baixa e tendência a depressão, porém também pode ocorrer em mulheres, que acreditam que seus seios ou grandes lábios estão desaparecendo.

Síndrome da Redução Genital (Koro): o que é, principais sintomas e como é o tratamento

Principais sintomas

Os sintomas da Síndrome de Koro estão muito relacionados com a ansiedade e medo do desaparecimento do órgão genital, sendo os principais sintomas:

  • Inquietação;
  • Irritabilidade;
  • Necessidade de medir frequentemente o órgão genital, havendo, portanto, obsessão por régua e fitas métricas;
  • Distorção da imagem corporal.

Além disso, as pessoas que possuem essa síndrome podem sofrer consequências físicas devido ao uso de pedras, talas, fios de pesca e corda, por exemplo, com o objetivo de impedir que o órgão diminua.

A síndrome da redução genital tem início repentino e é mais frequente em jovens solteiros, de baico nível socioeconômico e mais vulneráveis às pressões socioculturais que impõe tamanhos ideais para os órgãos genitais, por exemplo.

O diagnóstico da síndrome da redução genital é feito através da observação clínica do comportamento obsessivo compulsivo apresentado pelo sujeito.

Tratamento da Síndrome da Redução Genital

O tratamento é feito através de um acompanhamento psicológico, que envolve sessões de psicoterapia, fazendo com que ocorra a regressão dos sintomas e o reajuste emocional da pessoa. Remédios como anti-depressivos podem ser utilizados no tratamento caso o psiquiatra considere que seja adequado.


Bibliografia

  • SILVA, Liliana; MORGADO, Pedro. Síndrome de koro associado a transtorno obsessivo-compulsivo: caso clínico e breve revisão. J Bras Psiquiatr. Vol 67. 2 ed; 135-139, 2018
  • MATTELAER, Johan J.; JILEK, Wolfgang. Koro—The Psychological Disappearance of the Penis. J Sex Med. 1509–1515, 2007
  • DAN, Amitava et al. Clinical course and treatment outcome of Koro: A follow up study from a Koro epidemic reported from West Bengal, India. Asian Journal of Psychiatry. Vol 26. 14-20, 2017
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem