Riscos da lipocavitação e contraindicações

Revisão clínica: Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
janeiro 2021

A lipocavitação é considerada um procedimento seguro, sem riscos para a saúde, no entanto como se trata de um procedimento em que é utilizado um equipamento que emite ondes de ultrassom, pode estar associado com alguns riscos quando o equipamento não está calibrado corretamente ou é utilizado por um profissional não capacitado.

Assim, quando o procedimento não é realizado de forma correta, é possível que as ondas de ultrassom que são emitidas pelo equipamento cause danos em órgãos mais profundos e queimaduras superficiais, além de também poder não haver o resultado esperado do tratamento.

Dessa forma, para prevenir os riscos da lipocavitação, é importante que esse tratamento estético seja realizado em um clínica especializada e certificada e por um profissional capacitado, podendo ser feito por um esteticista, fisioterapeuta dermatofuncional ou dermatologista. Entenda como é feita a lipocavitação.

Contraindicações da lipocavitação

Além dos riscos da lipocavitação relacionados com a falta de calibração do equipamento ou realização do procedimento com profissionais pouco qualificados, a lipocavitação também pode ter alguns riscos quando realizada em pessoas que fazem parte do grupo de contraindicações, que são:

  • Durante a gravidez, pois por falta de comprovação científica não se sabe se o procedimento é perigoso para o feto, embora esteja comprovado que aumenta a temperatura da região tratada;
  • Doença cardíaca, porque o equipamento pode gerar arritmia cardíaca em certas pessoas;
  • Obesidade, pois não é um procedimento para emagrecer, apenas para modelar regiões específicas do corpo;
  • Epilepsia, pois existe o risco de convulsão durante o procedimento;
  • Quando existem feridas ou processos infecciosos na região a tratar;
  • Em caso de prótese, placas, parafusos metálicos ou DIU no corpo, pois o metal pode aquecer durante o tratamento;
  • Quando existem varizes ou veias dilatadas na região a tratar, pois existe o risco do tratamento agravar as varizes.

Além disso, este tratamento estético também não deve ser realizado por pacientes com doença nos rins ou fígado, sem antes consultar o médico.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em janeiro de 2021. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em janeiro de 2021.
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.