Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Ocrevus (Ocrelizumabe) - Remédio para Esclerose Múltipla

Ocrevus é um remédio indicado para Esclerose Múltipla, do laboratório Roche. Este medicamento é um anticorpo monoclonal produzido de forma sintética, em laboratório, cujo princípio ativo é o Ocrelizumabe.

Este medicamento consiste numa injeção que deve ser aplicada no hospital, porque é necessário que o paciente seja vigiado durante, no mínimo 1 hora, após a sua aplicação porque podem ocorrer reações graves, como o sufocamento, sendo necessária intervenção médica imediata. As reações mais graves são mais comuns na 1º aplicação dessa injeção, e por isso, alguns hospitais podem optar pela internação de 1 dia para a aplicação dessa 1º dose. Nas doses seguintes, como as reações graves são menos comuns, pode não ser necessário o internamento, ficando o paciente somente em observação durante 1 hora. 

Ocrevus (Ocrelizumabe) - Remédio para Esclerose Múltipla

Para que serve

Este medicamento serve para combater a progressão da Esclerose Múltipla, sendo indicado em caso de pacientes adultos diagnosticados com Esclerose Múltipla de surto-remissão ou em caso de Esclerose Múltipla progressiva primária. 

Preço

O medicamento Ocrevus (ocrelizumabe) custa cerca de 38 mil reais, mas é disponibilizado pelo SUS. 

Modo de uso 

Este medicamento deve ser usado por perfusão intravenosa em meio hospitalar. Antes da sua aplicação é necessário:

  • Aplicar 100 mg de metilprednisolona intravenosa, ou um medicamento equivalente, aproximadamente 30 minutos antes de cada perfusão de Ocrevus para prevenir problemas relacionados com a perfusão do medicamento;
  • Tomar um anti-histamínico de 30 à 60 minutos antes da perfusão, para diminuir o risco de reação alérgica; 
  • Tomar um anti-pirético como o paracetamol, de 30 à 60 minutos antes da perfusão, para manter a temperatura corporal normalizada. 

A primeira aplicação da injeção com ocrelizumabe é feita em doses separadas. Sendo a dose inicial de 300mg numa semana, e mais 300 mg, 2 semanas depois. As doses seguintes podem ser realizadas juntas, totalizando 600mg por perfusão, a cada 6 meses. O intervalo mínimo entre cada dose é de 5 meses. 

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso de Ocrevus são infeção das vias respiratórias superiores, irritação no nariz e garganta e sintomas de gripe. Também podem ocorrer infecções em outras regiões do corpo.

Além disso, podem surgir outras reações mais graves, depois da 1º perfusão, sendo mais frequentes nas primeiras 24 horas, como coceira no corpo, erupção cutânea, urticária, vermelhidão, irritação orofaríngea, dor orofaríngea, falta de ar, inchaço da garganta que pode dificultar a respiração, vermelhidão no rosto, pressão baixa, febre, fadiga, dor de cabeça, tonturas, náuseas e aumento dos batimentos cardíacos. 

Quando não deve ser usado 

Ocrelizumabe é contraindicado para crianças e adolescentes com menos de 18 anos porque não foram realizados estudos de sua eficácia e segurança nessa faixa etária.

Além disso, não deve ser usado em caso de infecção ativa, como em caso de hepatite B ativa, e em caso de comprometimento imunitário grave havendo linfopenia, neutropenia, hipogamaglobulinemia, ou câncer ativo. Não se recomenda o uso de outros imunossupressores ao mesmo tempo que Ocrevus, à exceção dos corticosteroides para o tratamento sintomático dos surtos. 

Também não deve ser usado em pessoas que tiveram alguma reação à perfusão desse medicamento anteriormente. 

As mulheres em idade fértil não devem engravidar num período de 1 ano após iniciar o tratamento com ocrelizumabe.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar