Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Consequências da falta de vitamina E

A falta de vitamina E é rara, mas pode acontecer devido a problemas relacionados à absorção intestinal, o que pode resultar em alterações na coordenação, fraqueza muscular, infertilidade e dificuldade para engravidar, por exemplo.

A vitamina E é um ótimo antioxidante, prevenindo o envelhecimento, doenças cardiovasculares e o câncer, por exemplo, além de fortalecer o sistema imune e participar na formação de diversos hormônios, possuindo também papel importante no que diz respeito ao sistema reprodutor. Saiba para que serve a vitamina E.

Consequências da falta de vitamina E

Consequências da falta de vitamina E

A falta de vitamina E é rara e normalmente é resultado de problemas relacionados à absorção da vitamina, podendo ser devido à insuficiência pancreática ou atresia biliar, que corresponde à fibrose e obstrução das vias biliares, não sendo possível a sua absorção no intestino.

Essa vitamina tem importância na formação de hormônios e remoção dos radicais livres, assim, os sintomas de deficiência de vitamina E estão relacionados ao sistema vascular, reprodutor e neuromuscular, podendo resultar em diminuição dos reflexos, dificuldades na marcha e na coordenação, fraqueza muscular e dor de cabeça. Além disso, pode aumentar o risco de aterosclerose bem como interferir na fertilidade.

Falta de vitamina E no bebê

Os bebês recém-nascidos têm baixas concentrações de vitamina E porque há pouca passagem através da placenta, no entanto, isso não é um grande motivo de preocupação porque o leite materno é suficiente para suprir a necessidade de vitamina E que o bebê precisa.

Somente quando o bebê nasce prematuro é que existe uma maior preocupação com a quantidade dessa vitamina no corpo, e por isso o médico pode solicitar um exame de sangue para saber se o bebê está com falta de vitamina E, embora isso nem sempre seja necessário.

Os principais sintomas relacionados a deficiência de vitamina E nos bebês são fraqueza muscular e anemia hemolítica entre a sexta e a décima semana de vida, além de um problema ocular chamado retinopatia da prematuridade. Quando mesmo com o leite materno o bebê não tem acesso a quantidades adequadas de vitamina E, o pediatra pode recomendar a suplementação de vitamina E. Nos casos de retinopatia de prematuridade e sangramento intracerebral, é administrada cerca de 10 a 50 mg de vitamina E diariamente sob supervisão médica.

Onde encontrar a vitamina E

É possível evitar a falta de vitamina E por meio do consumo de alimentos que sejam ricos nessa vitamina, como manteiga, gema de ovo, óleo de girassol, amêndoas, avelãs e castanha-do-pará, por exemplo. O nutricionista também pode recomendar o uso de suplementos dessa vitamina caso haja necessidade. Conheça os alimentos ricos em vitamina E.

A falta de vitamina E pode ser tratada com o consumo de alimentos ricos em vitamina E como óleo de girassol, amêndoas, avelãs ou castanha-do-pará mas também se pode usar suplementos alimentares à base de vitamina E, que devem ser aconselhados pelo médico ou nutricionista.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Carregando
...