Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Estreptomicina

Estreptomicina é um medicamento antibacteriano conhecido comercialmente como Estreptomicina Labesfal.

Esse medicamento de uso injetável é utilizado para o tratamento de infecções bacterianas como tuberculose e brucelose.

A ação da Estreptomicina interfere nas proteínas das bactérias, que acabam enfraquecidas e eliminadas do organismo. O medicamento tem uma absorção rápida pelo organismo, cerca de 0,5 a 1,5 horas, logo a melhora dos sintomas é observada pouco tempo depois do inicio do tratamento.

Indicações da Estreptomicina

Tuberculose; brucelose; tularemia; infecção na pele; infecção urinária; tumor ingual.

Efeitos colaterais da Estreptomicina

Toxidade nos ouvidos; perda de audição; sensação de barulho ou entupimento dos ouvidos; tontura; insegurança ao andar; náusea; vômito; urticária; vertigem.

Contraindicações da Estreptomicina

Gravidez risco D; mulheres em fase de lactação; indivíduos com hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.

Modo de uso da Estreptomicina

Uso injetável

A aplicação do medicamento deve ser feita nas nádegas em indivíduos adultos, enquanto nas crianças aplica-se na face externa da coxa. É importante alternar o lugar das aplicações, nunca aplicar várias vezes no mesmo local, devido a risco de irritação.

Adultos

  • Tuberculose: Injetar 1g de Estreptomicina em dose única diária. A dose de manutenção é de 1g de Estreptomicina, 2 ou 3 vezes ao dia.
  • Tularemia: Injetar 1 a 2g de Estreptomicina diariamente, divididas em 4 doses ( de 6 em 6 horas) ou em 2 doses (12 em 12 horas).

Crianças

  • Tuberculose: Injetar 20 mg por kg de peso corporal de Estreptomicina, em dose única diária.
Mais sobre este assunto:


Carregando
...