Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Espondilite anquilosante na gravidez

A mulher que sofre com espondilite anquilosante deverá ter uma gravidez normal, mas é provável que ela sofra com dores nas costas e tenha mais dificuldade em movimentar-se especialmente no último trimestre de gestação, devido as alterações provocadas pela doença.

Apesar de existirem mulheres que não apresentam os sintomas da doença durante a gravidez, isto não é comum e em caso de dor é importante que ela seja tratada adequadamente através de recursos naturais pois os medicamentos podem ser prejudiciais ao bebê.

Tratamento na gravidez

Fisioterapia, massagens, acupuntura, exercícios e outras técnicas naturais podem e devem ser utilizados no tratamento da espondilite na gravidez, para trazer alívio dos sintomas, uma vez que esta doença não tem cura. Os medicamentos só deverão ser utilizados em último recurso, pois podem passar pela placenta e chegar ao bebê, prejudicando-o.

Durante a gravidez será muito importante que a mulher mantenha uma boa postura durante todo o dia e toda a noite para evitar o agravamento do comprometimento das articulações. Utilizar roupas e sapatos confortáveis podem ajudar a atingir este objetivo.

Algumas mulheres diagnosticadas precocemente com esta doença podem apresentar a articulação coxofemoral e sacroilíaca muito comprometida, impedindo a realização do parto normal, devendo optar pela cesária, mas esta é uma situação rara.

A espondilite afeta o bebê?

Por ter um caráter hereditário é possível que o bebê seja portador da mesma doença. Para esclarecer esta dúvida pode-se realizar um aconselhamento genético com o teste HLA - B27, que indica se o indivíduo é portador da doença ou não, embora o resultado negativo não exclua esta possibilidade.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...