7 principais benefícios da erva-mate e como preparar

Nutricionista
Agosto 2020

A erva-mate é uma planta medicinal que apresenta um fino caule de cor cinza, folhas ovais e frutos pequenos de coloração verde ou vermelho-arroxeado. Essa erva é amplamente consumida na América do Sul, sendo usada principalmente na forma de bebida não alcoólica.

Essa planta é rica em cafeína e é caracterizada por ser consumida em um recipiente chamado mate, que possui uma espécie de canudo metálico que possui pequenos furos que impedem que as folhas passem por ele.

O nome científico é Ilex paraguariensis e pode ser comprada seca ou em forma de gotas em lojas de produtos naturais, no supermercado ou em lojas online.

Principais benefícios

A erva mate poderia proporcionar diversos benefícios para a saúde que incluem:

  1. Diminui o colesterol, pois é rico em antioxidantes e saponinas, os quais ajudam a diminuir o colesterol mau, o LDL, prevenindo o desenvolvimento da aterosclerose e outras doenças cardíacas com infarto ou AVC;
  2. Favorece a perda de peso, pois alguns estudos indicam que retarda o esvaziamento gástrico e aumenta a sensação de saciedade. Além disso, acredita-se que pode ter efeitos no tecido adiposo, controlando alguns genes relacionados com a obesidade e os marcadores inflamatórios;
  3. Atua como antibacteriano, já que atua contra o Streptococcus mutans, que são bactérias naturalmente encontradas na boca e responsáveis pela cárie. Além disso, também possui ação contra Bacillus subtilis, Brevibacterium ammoniagenes, Propionibacterium acnes, Staphylococcus aureus, entre outras;
  4. Previne doenças crônicas, como a diabetes, já que ajuda a regular o açúcar no sangue e alguns tipos de câncer. Isso se deve ao fato de que a erva mate é rica em antioxidantes que evitam o dano causado pelos radicais livres às células, além de possuir propriedades anti-inflamatórias;
  5. Atua como antifúngico, inibindo o desenvolvimento de alguns fungos como Saccharomyces cerevisiae, Candida utilis, Pityrosporum ovale, Penicillium chrysogenum e Trichophyton mentagrophytes;
  6. Estimula o organismo, melhora o humor e melhora a concentração, pois é rica em cafeína e vitaminas do complexo B, que são importantes para o bom funcionamento do metabolismo, atuando como coenzima e participando nas reações de catabolismo de nutrientes para obter energia dos alimentos que são consumidos;
  7. Ajuda a aumentas as defesas, já que possui vitamina C, E e outros minerais que ajudam a fortalecer o sistema imune.

Além disso poderia melhorar a circulação sanguínea, pois contém potássio, um mineral que ajuda a relaxar as artérias permitindo a passagem do sangue mais facilmente.

Quais as propriedades

A erva-mate tem na sua composição cafeína, saponinas, polifenois, xantinas, teofilina, teobromina, ácido fólico, taninos, minerais e vitaminas A, B1, B2, C e E. Por isso, atua como antioxidante, diurético, laxante, estimulante, antidiabético, antiobesidade, anticancerígeno, antibacteriano, antifúngico, hipocolesterolêmico e ajuda a digestão.

Qual a quantidade recomendada

Alguns estudos científicos indicam que deve ser consumido 3 xícaras de 330 mL de erva-mate por dia por até 60 dias. É seguro também beber até 1,5L por dia, no entanto não se sabe se doses mais elevadas podem apresenta toxicidade para o organismo.

No caso do suplemento do extrato de erva mate, a recomendação é de 1000 a 1500 mg por dia.

Como preparar

Existem diversas formas de preparar a erva mate e pode ser consumido frio, quente ou combinado com alguns sucos naturais e leite.

1. Chimarrão

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de erva-mate;
  • Água fervendo.

Modo de preparo

Colocar a erva mate até a metade do recipiente, tapar com a mão e agitar por cerca de 10 segundos, deixando-a em um ângulo de mais ou menos 45º. Em seguida, colocar a água morna, umedecendo o fundo do recipiente e deixando descansar por alguns segundos.

Depois colocar o canudo metálico na área úmida e apoiar sobre a parede do recipiente. Depois, voltar a acrescentar água quente no lugar em que se encontra o canudo, evitando molhar a parte de cima da erva, e beber a seguir.

2. Tereré

Ingredientes

  • Erva-mate q.b.;
  • Água fria.

Modo de preparo

O tereré é preparado da mesma forma que o chimarrão, mas em vez de se usar água fervente, é usada água fria.

Possíveis efeitos colaterais

O consumo da erva mate é aparentemente seguro, no entanto, devido ao fato de conter cafeína, a erva mate pode em alguns casos causar insônia e dificuldade para dormir.

Contraindicações

O consumo da erva mate está contraindicado para crianças, mulheres grávidas e pessoas com insônia, nervosismo, problemas de ansiedade ou pressão alta, já que possui grandes quantidades de cafeína.

Além disso, no caso de pessoas com diabetes, essa erva só deve ser consumida de acordo com a orientação dmo médico, já que pode diminuir muito os níveis de açúcar no sangue e, assim, ser necessário realizar ajustes no tratamento.

Esta informação foi útil?   

Sua opinião é importante! Escreva aqui como podemos melhorar o nosso texto:

Ficou alguma dúvida? Clique aqui para ser respondido.
Verifique o email de confirmação que lhe enviamos.
Fechar
Obrigado pela sua mensagem.
Informação do autor:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.

Bibliografia

  • BURRIS Kellie; HARTE Federico et al. COMPOSITION AND BIOACTIVE PROPERTIES OF YERBA MATE (Ilex paraguariensis A. St.-Hil.): A REVIEW. Chilean Journal of Agricultural Research . 72. 2; 268-274, 2012
  • EXAMINE.COM. Yerba mate. Disponível em: <https://examine.com/supplements/yerba-mate/research/#safety-and-toxicology>. Acesso em 12 Ago 2020
  • KUJAWSKA Monika. Yerba Mate (Ilex paraguariensis) Beverage: Nutraceutical Ingredient or Conveyor for the Intake of Medicinal Plants? Evidence from Paraguayan Folk Medicine. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine. 1-17, 2018
  • ALKHATIB Ahmad; ACHESON Roisin. Yerba Maté (Ilex paraguariensis) Metabolic, Satiety, and Mood State Effects at Rest and during Prolonged Exercise. Nutrientes. 9. 8; 1-15, 2017
  • FINTELMANN Volker et al. Manual de fitoterapia. 11º. Alemanha: Guanabara, 2006. 316.