Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Doenças causadas pela Radiação Nuclear

As doenças causadas pela radiação nuclear podem ser imediatas, como queimaduras e vômitos, ou que surgem em longo prazo, como infertilidade e leucemia. Os riscos de desenvolver problemas são ainda maiores em crianças e em pessoas que ingeriram alimentos contaminados com radiação ou que respiraram o ar contaminado.

A gravidade das consequências do excesso de radiação no corpo dependem do tipo de radiação, da quantidade e do tempo de exposição à radiação, pois quanto mais tempo de exposição, maior o risco de desenvolver doenças.

Consequências do excesso de radiação

As principais consequências causadas pelo excesso de radiação são:

  • Queimaduras na pele;
  • Cataratas;
  • Distúrbios gastrointestinais, provocados pela morte das células do trato gastrointestinal, causando sintomas como náuseas, vômitos e diarreias graves;
  • Síndrome cerebral, causada pela inflamação do tecido cerebral, e que muitas vezes leva à morte. Os sintomas principais costumam ser náuseas, vômitos, sonolência, convulsões, incapacidade de andar e coma;
  • Doenças do sangue, sendo a leucemia a doença mais comum, caracterizada por sintomas como perda de apetite, náuseas e vômitos. A leucemia causada pela radiação pode provocar morte rápida, cerca de 3 semanas após exposição à radiação.
  • Distúrbios no sistema reprodutor, como infertilidade, falta de menstruação e diminuição do apetite sexual;
  • Câncer, devido às alterações celulares que a radiação provoca no corpo;
  • Bebês com malformações.

Algumas dos efeitos causados pela radiação, como infertilidade e malformações em recém-nascidos, pode durar décadas para desaparecer.

Catarata
Catarata
Náuseas e vômitos
Náuseas e vômitos

Como se proteger da radiação

Para se proteger da exposição à radiação nuclear e dos seus efeitos no caso de algum acidente nuclear, é preciso:

  • Limitar o tempo de exposição à fonte de radiação;
  • Ir para o mais longe possível da fonte de radiação. No caso de um acidente nuclear, é necessário evacuar a área atingida pela radiação, que deve ser maior de acordo com a quantidade de radiação emitida;
  • Usar roupas próprias que dificultem o contato da radiação com a pele e com os pulmões, como luvas e máscaras;
  • Evitar comer ou beber água que tenha origem no local contaminado, pois isso, leva a radiação diretamente para o interior do corpo, causando danos mais graves ao organismo.

Distúrbios gastrointestinais como náuseas e vômitos podem ser imediatamente percebidos após a ingestão de alimentos contaminados, principalmente em bebês e crianças.

Alimentos contaminados com radiação nuclear 

O consumo de comida e de água contaminada com radiação nuclear pode levar ao surgimento de diversas doenças e afeta particularmente bebês e crianças.

Distúrbios gastrointestinais e doenças que afetam o sangue podem ser imediatamente percebidas após a ingestão destes alimentos, que podem gerar uma desidratação. Um quadro grave particularmente para os bebês e para as crianças pequenas.

Para evitar a contaminação da população deve-se evitar o consumo de água da torneira e de alimentos que venham da região afetada. O ideal é tomar água mineral que tenha vindo de uma outra região, bem distante dos locais contaminados e comer produtos industrializados.

Segundo pesquisas, se um indivíduo comer cerca de 100 gramas de um alimento contaminado com radiação nuclear durante 1 semana, estima-se que ele tenha sido exposto à mesma radiação que seria aceitável em 1 ano de exposição, o que é altamente prejudicial à saúde.

Numa região que esteve exposta à radiação nuclear não se deve morar nem produzir nada até que sejam feitas novas análises que demonstrem que os níveis de radiação já são aceitáveis. E isto pode demorar meses ou anos para acontecer.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...