Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Conheça a doença genética que te faz ter fome toda hora

A obesidade que começa ainda na infância pode ser causada por uma doença genética rara chamada deficiência de leptina, um hormônio que regula a sensação de fome e saciedade. Com a falta deste hormônio, mesmo que a pessoa coma bastante, esta informação não chega no cérebro, e ela continua sempre com fome e por isso está sempre comendo alguma coisa, o que acaba favorecendo o excesso de peso e à obesidade.

As pessoas que possuem esta deficiência geralmente demostram o excesso de peso ainda na infância e podem lutar contra a balança durante anos até descobrir a causa do problema. Estas pessoas precisam de tratamento que deve ser indicado pelo pediatra, quando a doença é diagnosticada até os 18 anos ou pelo endocrinologista em pessoas adultas.

Conheça a doença genética que te faz ter fome toda hora

Sintomas

As pessoas que têm essa alteração genética nascem com peso normal, mas rapidamente ficam obesas durante os primeiros anos de vida porque como nunca se sentem saciadas, continuam comendo o tempo todo. Assim, alguns sinais que podem indicar esta alteração são:

  • Comer grandes porções de comida de cada vez;
  • Dificuldade em ficar mais de 4h horas sem comer nada;
  • Níveis elevados de insulina no sangue;
  • Infecções constantes, devido ao enfraquecimento do sistema imune.

​​

A deficiência congênita de leptina é uma doença genética, por isso crianças com histórico de obesidade na família e que apresentam estes sintomas devem ser levadas ao pediatra para investigar o problema e iniciar o tratamento.

Como saber se tenho esta doença

É possível fazer o diagnóstico desta deficiência através dos sintomas apresentados e através de exames de sangue que identificam os baixos níveis ou a ausência completa de leptina no corpo.​

Como é feito o tratamento

O tratamento da deficiência congênita de leptina é feito com o uso de injeções diárias desse hormônio, para repor o que o corpo não produz. Com isso, o paciente apresenta diminuição da fome e emagrece, e também volta a apresentar níveis adequados de insulina e um crescimento normal.

A quantidade de hormônio a ser tomada deve ser orientada pelo médico e o paciente e seus familiares devem ser treinados para aplicar as injeções, que devem ser dadas logo abaixo da pele, como é feito com as injeções de insulina para os diabéticos.

Como ainda não existe nenhum tratamento específico para esta deficiência, a injeção deve ser aplicada diariamente por toda a vida.

Apesar deste medicamento ser essencial para o controle da fome e da ingestão de alimentos, a pessoa deve aprender a se alimentar com uma menor quantidade de alimentos, fazendo refeições saudáveis e praticando exercícios regularmente para que possa emagrecer.

Assista o que pode fazer para emagrecer:

Riscos e Complicações da deficiência de leptina

Quando não tratado, os baixos de níveis de leptina podem causar complicações ligadas ao excesso de peso, como:

  • Ausência de menstruação em mulheres;
  • Infertilidade;
  • Osteoporose, principalmente em mulheres;
  • Atraso no desenvolvimento durante a puberdade;
  • Diabetes tipo 2.
Conheça a doença genética que te faz ter fome toda hora

É importante lembrar que quanto mais cedo iniciar o tratamento, menor o risco de complicações devido à obesidade e mais rapidamente o paciente perderá peso e terá uma vida normal.

Veja mais dicas sobre Como controlar a Leptina e emagrecer de vez.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...