Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como deve ser o tratamento para a depressão pós-parto

As mulheres diagnosticadas com depressão pós-parto devem preferencialmente ser tratadas com recursos naturais, visto que os medicamentos específicos para a depressão podem passar para o leite materno, e elas tem que deixar de amamentar.

Atualmente as opções naturais mais recomendadas no combate à depressão leve são a suplementação de ômega 3, alimentação, exercícios físicos moderados, e sessões de psicoterapia. Somente se estas opções não mostrarem o efeito esperado é que deve ser recomendado o uso de antidepressivos podem ser indicados, no entanto, nos caso de depressão pós parto moderada ou grave, o médico pode recomendar seu uso logo inicialmente. Após o início do tratamento a cura da depressão pós-parto pode ser alcançada num período de 3 à 12 semanas.

A depressão pós-parto é uma situação comum em que não só as mulheres, mas também os homens, podem desenvolver após o nascimento do filho, sendo caracterizada por tristeza, falta de interesse pelo bebê, diminuição da auto-estima e ausência de capacidade de cuidar de si próprio. Saiba reconhecer os sintomas de depressão pós-parto.

Como deve ser o tratamento para a depressão pós-parto

1. Apoio psicológico

O apoio psicológico é fundamental na depressão pós-parto, pois permite que a pessoa fale como se sente sem receio de ser julgada e/ ou preocupação com o que outras pessoas podem pensar e, assim, é possível que os sentimentos sejam trabalhados e a pessoa passe a se sentir melhor. A psicoterapia ou a terapia de grupo devem ser orientadas por um psicólogo ou psicoterapeuta e o tratamento deve durar cerca de 10-12 sessões, realizadas semanalmente, sendo uma boa opção para complementar o tratamento com os remédios, mas em muitos casos pode até mesmo não ser necessário tomar medicamentos.

Dentre as abordagens psicoterapêuticas, a Terapia Cognitivo-Comportamental e a Psicoterapia Interpessoal tem se mostrado como sendo as mais eficazes. No entanto, conversar com seu companheiro, familiares ou um bom amigo também ajuda a aliviar o estresse e a pressão do dia-a-dia, promovendo o bem-estar e uma melhor interação social, o que também é bastante importante para sair da depressão.

2. Alimentação

Os alimentos consumidos diariamente também podem ajudar a combater os sintomas da depressão e melhorar a sensação de bem-estar e a auto-estima da pessoa. Alguns dos alimentos que combatem a depressão são a banana verde, o abacate e as nozes, que devem ser consumidos regularmente, pois possuem triptofanos, que garantem a sensação de bem-estar.

No caso da banana verde, uma opção é preparar a biomassa de banana verde, congelar e usar cerca de 2 a 3 colheres nas principais refeições. Usar o abacate como substituto da manteiga, para passar no pão também é uma boa ideia, e comer 3-4 nozes por dia no café da manhã, também é uma estratégia natural que tem ótimos benefícios para saúde. Confira mais opções de alimentos para combater a depressão.

Veja também no vídeo a seguir o que comer para melhorar o humor:

HUMOR | SUPER TATI CONTRA O BAIXO ASTRAL

108 mil visualizações

3. Exercícios físicos

Qualquer exercício físico é benéfico para combater a depressão e mesmo que seja difícil ter motivação para sair de casa para ir para a academia de ginástica, é importante pelo menos sair para dar uma caminhada na rua, para distrair a mente. Uma opção é ir passear com o bebê de manhã cedo ou deixar o bebê sob os cuidados de outra pessoa, para ter um tempo exclusivo para você mesma.

A atividade física regular irá liberar endorfinas na corrente sanguínea e irá melhorar a circulação, dois aspectos importantes no combate à depressão. É preciso dedicação, porque os exercícios devem ser realizados diariamente, ou pelo menos, 4 vezes por semana. Além da caminhada, existem outras possibilidades como natação, hidroginástica, pilates ou musculação, que podem ser realizadas, 2 ou 3 vezes por semana, durante pelo menos 45 minutos.

4. Suplemento de ômega 3

A suplementação de ômega 3 pode ser útil como forma de complementar o tratamento contra depressão. Esse tipo de suplemento atua melhorando o bem-estar e pode ser encontrado nas farmácias e drogarias, mas não deve ser usado sem o conhecimento do médico.

O ômega 3 é indicado porque ele têm propriedade anti-inflamatória e contribui para uma maior fluidez e atividade cerebral. Além disso os ácidos gordos ômega 3 também aumentam a neurotransmissão de serotonina, um hormônio relacionado ao bom humor, que é excelente para curar a depressão mais rápido. Saiba tudo sobre o ômega 3 na depressão.

5. Remédios antidepressivos

O uso de remédios antidepressivos só é recomendado nos casos mais graves de depressão pós-parto e quando a psicoterapia não é suficiente, podendo ser recomendado pelo médico o uso de Sertralina, Paroxetina ou Nortriptilina, que parecem ser os mais seguros e não prejudicam a amamentação. Se a mulher não estiver amamentando pode-se recomendar outros remédios como os inibidores seletivos de recaptação da serotonina. Conheça os melhores remédios para depressão.

O efeito dos medicamentos pode demorar 2 a 3 semanas para serem observados, e pode ser preciso continuar tomando a medicação por 6 meses ou mais. Ao notar que se sente melhor após o início da toma dos medicamentos, não se deve tentar deixar de tomar ou diminuir a dose, sem antes falar com o médico.

Dicas para vencer a depressão

Algumas boas dicas para conseguir vencer a depressão pós-parto incluem:

  • Conseguir desabafar com um amigo, ente querido, profissional da saúde, ou em último caso, com um espelho;
  • Buscar ajuda médica ao observar os primeiros sinais e sintomas da depressão pós-parto;
  • Informar aos amigos mais próximos da sua condição para que eles possam ajudar;
  • Buscar fazer atividades em família, juntamente com o bebê para gerar boas recordações;
  • Alimentar-se bem, sair para caminhar, quase todos os dias;
  • Conseguir descansar bem, dormindo as horas suficientes.

Além disso é importante ter em mente que essa é uma situação passageira, mas que não deve ser ignorada, a depressão é uma doença séria que precisa de ajuda médica, e muitas vezes não é possível sair da depressão sozinha.

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Depressão pós-parto: causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. Disponível em: <http://saude.gov.br/saude-de-a-z/saude-mental/depressao-pos-parto>. Acesso em 23 Dez 2019
  • IBIAPINA, Flávio Lúcio P.; ALVES, Júlio Augusto G.; BUSGAIB, Rosana P. S; COSTA, Fabrício S. C. Depressão pós-parto: tratamento baseado em evidências. FEMINA. Vol 38. 3 ed; 161-165, 2010
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem