Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Coronavírus pode permanecer infectante dias fora do corpo

Março 2020

Um grupo de pesquisadores alemães publicaram em março de 2020 [1] um estudo que indica que os tipos de coronavírus que infectam as pessoas podem permanecer fora do corpo, em superfícies como plástico, vidro e metal por até 9 dias em temperatura ambiente, podendo infectar as pessoas que entrem em contato com essas superfícies.

Para chegar a essa conclusão, foram analisados 22 estudos que traziam informações sobre o coronavírus responsável pelo SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e pelo MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio). Os pesquisadores também afirmam que a estrutura e as características do novo coronavírus (SARS-CoV-2/ COVID-19) são semelhantes às do SARS e do MERS e, por isso, esse novo tipo de coronavírus também poderia permanecer fora do corpo pelo mesmo período e permanecer infectante.

Por outro lado, uma pesquisa desenvolvida por cientistas dos Estados Unidos também em março de 2020 [2] indicou que o SARS-CoV-2 é capaz de permanecer em superfícies de plástico e no aço inoxidável por até 3 dias, enquanto que em superfícies de metal seu tempo de sobrevivência média era de aproximadamente 4 horas. Nesse estudo tanto o SARS-CoV-2 quanto o SARS-CoV-1, que é o responsável pelo SARS, foram submetidos a diferentes condições ambientais e as suas concentrações foram medidas ao longo do tempo.

Coronavírus pode permanecer infectante dias fora do corpo

Resultados dos estudos

Os pesquisadores alemães analisaram 22 estudos sobre a transmissão e formas de resistência dos vírus do SARS e do MERS, verificando que a transmissão poderia acontecer de pessoa para pessoa por meio da inalação de gotículas suspensas no ar e também em ambiente familiar e hospitalar por meio do contato com superfícies infectadas.

De acordo com os dados coletados, os pesquisadores verificaram que o coronavírus consegue permanecer em superfícies de vidro, plástico e metais e ser contaminante por 2 horas a 9 dias em temperatura ambiente. Verificaram também que temperaturas elevadas entre 30ºC e 40ºC diminuíram a atividade de coronavírus muito patogênicos, como o MERS.

Em relação ao SARS-CoV-2 (COVID-19), apesar de possuir comportamento semelhante ao SARS-CoV-1, que é capaz de sobreviver em superfícies por até 9 dias, o estudo dos cientistas americanos indicou que esse novo tipo de coronavírus é capaz de sobreviver em superfícies de plástico e de aço inoxidável por até 3 dias, apesar de ter sua concentração diminuída ao longo do tempo.

Foi verificado também que quando em superfícies de cobre ou de papelão, o vírus permanecia viável por até 4 e 24 horas, respectivamente. O estudo demonstrou também que na forma de aerossol o SARS-CoV-2 pode permanecer infectante por cerca de 3 horas e o percentual de redução de concentração ao longo do tempo foi semelhante ao do SARS-CoV-1.

Como acontece a transmissão do coronavírus

A transmissão do coronavírus acontece principalmente por meio da inalação de gotículas de saliva e de secreções respiratórias que ficam suspensas no ar quando a pessoa infectada tosse, espirra ou fala. Além disso, alguns tipos de coronavírus, incluindo o SARS-CoV-2 (COVID-19), também pode ser transmitidos por meio do contato com animais contaminados.

A transmissão do coronavírus a partir do contato com superfícies contaminadas já foi comprovada no caso do SARS e da MERS, no entanto ainda são necessários estudos que indiquem que o COVID-19 também pode ser transmitido dessa forma, apesar de que esse vírus é capaz de sobreviver em superfícies por até 3 dias. Saiba mais sobre a transmissão do coronavírus.

Veja como se proteger do coronavírus assistindo ao vídeo a seguir:

Bibliografia >

  • KAMPF, G. et al. Persistence of coronaviruses on inanimate surfaces and their inactivation with biocidal agents. Journal of Hospital Infection.
  • DOREMALEN, Neeltje et al. Aerosol and Surface Stability of SARS-CoV-2 as Compared with SARS-CoV-1. The New England Journal of Medicine. 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem