Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Complicação do uso incorreto da insulina

O uso incorreto da insulina pode provocar lipohipertrofia insulínica, que é uma deformação, caracterizada por um caroço por baixo da pele no local onde o paciente com diabetes injeta insulina, como braço, coxa ou abdômen, por exemplo.

Geralmente, esta complicação surge quando o diabético aplica a insulina muitas vezes no mesmo local com a caneta ou seringa, levando a que a insulina fique acumulada naquele local e, provocando má absorção deste hormônio, fazendo com que os níveis de açúcar no sangue se mantenham altos e não se consiga controlar devidamente a diabetes.

Caneta de InsulinaCaneta de Insulina
Seringa de InsulinaSeringa de Insulina
Agulha de insulinaAgulha de insulina

Tratamento para lipohipertrofia insulínica

Para tratar a lipohipertrofia insulínica, também chamada por distrofia insulínica, é necessário não aplicar insulina no local do nódulo, dando descanso total àquele local do corpo, pois caso aplique insulina no local, além de causar dor, a insulina não é devidamente absorvida e não se consegue controlar os níveis de açúcar no sangue.

Normalmente, o caroço vai diminuindo espontaneamente mas pode demorar entre semanas a alguns meses, dependendo do tamanho deste.

Como evitar a lipohipertrofia insulínica

Para prevenir a lipohipertrofia insulínica é fundamental ter alguns cuidados, como:

1. Variar os locais de aplicação da insulina

Locais de aplicação de insulinaLocais de aplicação de insulina

Para evitar a formação de caroços devido à acumulação de insulina, esta deve ser aplicada em diferentes locais, podendo ser injetada nos braços, nas coxas, no abdômen e na parte externa das nádegas, devendo atingir o tecido subcutâneo, que é por baixo da pele.

Além disso, é importante rodar entre o lado direito e esquerdo do corpo, revezando entre o braço direito e o esquerdo, por exemplo e, para não se esquecer do local onde aplicou a última injeção pode ser importante registrar. 

2. Alternar os locais das injeções dentro da área escolhida

Além de variar de local de aplicação da insulina, entre braço e coxa, por exemplo, é importante que o paciente faça rotatividade na mesma região do corpo, dando uma distância de 2 a 3 dedos entre cada local de aplicação.

Variação da barrigaVariação da barriga
Variação na coxaVariação na coxa
Variação no braçoVariação no braço

Normalmente, aplicando esta técnica é possível que no mesma região do corpo se faça pelo menos 6 aplicações de insulina, o que indica que apenas de 15 em 15 dias é que injeta insulina novamente no mesmo local.

3. Trocar a agulha da caneta ou seringa

É fundamental que o diabético troque a agulha da caneta de insulina antes de cada aplicação, pois no caso de usar a mesma agulha várias vezes aumenta a dor na aplicação e o risco de desenvolver lipohipertrofia e desenvolver pequenos hematomas.

Além disso, o médico deve indicar qual o tamanho da agulha mais aconselhada, pois depende da quantidade de gordura corporal do paciente, porém na maioria das vezes a agulha é pequena e muito fina, não causando dor durante a aplicação.

Após a troca da agulha é importante aplicar a insulina de forma correta. Veja a técnica em: Como aplicar insulina.

Outras complicações do uso incorreto de insulina

A aplicação incorreta da insulina seja com o uso de seringa ou caneta, também pode provocar lipoatrofia insulínica, que é a perda da gordura nos locais das injeções de insulina e aparece como uma depressão na pele, porém estes casos são raros.

Além disso, por vezes a aplicação de insulina pode provar um pequeno hematoma no local da injeção, causando alguma dor.

Leia também:

Mais sobre este assunto:


Carregando
...