Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Caldê: carbonato de cálcio + vitamina D

O Caldê é um medicamento usado para repôr o cálcio em estados de deficiência ou situações cujas necessidades deste mineral estejam aumentadas, como na prevenção e tratamento da osteoporose, tireotoxicose, hipoparatireoidismo, osteomalacia e raquitismo.

Além disso, o Caldê também contém vitamina D, conhecido por colecalciferol, que atua aumentando a absorção de cálcio no intestino e a sua fixação nos ossos, sendo por isso muito importante no tratamento de estados de deficiência de vitamina D em pessoas que necessitam de reposição de cálcio.

O Caldê, do Laboratório Marjan Farma, pode ser encontrado em frascos com 60 comprimidos mastigáveis com um preço que varia entre 20 e 50 reais.

Caldê: carbonato de cálcio + vitamina D

Para que serve

Este remédio é destinado à suplementação de cálcio e vitamina D em doenças crônicas, para prevenção do raquitismo, e para prevenção e tratamento auxiliar na desmineralização óssea que pode acontecer antes e depois da menopausa.

Como tomar

Os comprimidos devem ser tomados de preferência após as refeições, devendo ser bem mastigados antes de engolir, e em seguida deve-se beber um copo de água.

A dose usual depende da idade da pessoa:

  • Adultos:​ ​1 ou 2 comprimidos mastigáveis ao dia. 
  • Crianças: meio a 1 comprimido ao dia.

Durante o tratamento com Caldê, deve-se evitar o consumo excessivo de álcool, cafeína ou tabaco, assim como a ingestão de outros suplementos de cálcio, por tempo prolongado.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos adversos mais comuns provocados pelo uso de Caldê são perturbações gastrointestinais leves, como gases e prisão de ventre. Além disso, doses excessivas de vitamina D podem gerar sintomas como diarréia, poliúria, enjoos, vômitos e depósitos de cálcio nos tecidos moles, e em casos severos, arritmia cardíaca e coma.

Quem não deve usar

Este remédio não deve ser usado em pessoas com alergia ao cálcio, vitamina D ou a qualquer um dos componentes da fórmula. Além disso, também não deve ser usado em pessoas com cálcio em grande quantidade no sangue ou na urina, pedras nos rins, excesso de vitamina D, que tenham alterações ósseas decorrentes do excesso de fósforo, insuficiência renal grave, sarcoidose, câncer nos ossos, imobilização por fraturas osteoporóticas e depósito de cálcio nos rins.

Os níveis de cálcio no sangue e urina, assim como as funções renais devem ser monitorados regularmente durante o tratamento prolongado com Caldê.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...