Anis-estrelado: 6 benefícios (e como usar)

Revisão clínica: Manuel Reis
Enfermeiro

O anis-estrelado, também conhecido como estrela-de-anis, é uma especiaria que é feita a partir do fruto de uma espécie de árvore asiática chamada de Ilicium verum. Esta especiaria normalmente é facilmente encontrada na sua forma seca em supermercados.

Embora seja muito utilizado na culinária para conferir um sabor adocicado a algumas preparações, o anis-estrelado também apresenta vários benefícios para a saúde devido aos seus componentes, especialmente o anetol, que parece ser a substância presente em maior concentração.

Por vezes, o anis-estrelado é confundido com o anis-verde, que é a erva-doce, mas estas são plantas medicinais completamente diferentes. Saiba mais sobre o anis-verde, também conhecido como erva-doce.

Alguns dos principais benefícios comprovados do anis-estrelado para a saúde são:

1. Prevenir o aparecimento da gripe

O anis-estrelado é um depósito natural de ácido xiquímico, uma substância que é utilizada na indústria farmacêutica para produzir o remédio antiviral oseltamivir, mais conhecido como Tamiflu [1,2,3]. Este remédio é usado para prevenir e tratar infecções pelos vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e B [2], que são responsáveis pela gripe.

O consumo regular de anis estrelado, seja em preparações culinárias ou na forma de chá, pode ser uma ótima forma natural de prevenir a gripe [3], especialmente durante períodos de maior incidência dessa doença. Confira no vídeo a seguir mais detalhes sobre como o chá de anis-estrelado ajuda a combater a gripe:

2. Combater infecções por fungos

Por ser rico em anetol, o anis-estrelado tem forte ação contra vários tipos de microrganismos, incluindo os fungos. Segundo estudos feitos em laboratório, o extrato de anis-estrelado é capaz de inibir o crescimento de fungos como Candida albicans, Brotytis cinerea e Colletotrichum gloeosporioides.

3. Eliminar infecções bacterianas

Além da função contra fungos, o anetol do anis-estrelado também impede o desenvolvimento de bactérias. Até o momento, foi identificada ação contra as bactérias Acinetobacter baumannii, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus e Escherichia coli, em laboratório. Estas bactérias são responsáveis por vários tipos de infecções, como gastroenterite, infecção urinária ou infecção de pele.

Além do anetol, os estudos indicam que outras substâncias presentes no anis-estrelado também podem contribuir para sua ação antibacteriana, como é o caso do aldeído anísico, da cetona anísica ou do álcool anísico.

4. Fortalecer o sistema imune

Assim como a maior parte das plantas aromáticas, o anis-estrelado tem boa ação antioxidante devido à presença de compostos fenólicos na sua composição. Embora alguns estudos tenham identificado que o poder antioxidante do anis-estrelado pareça ser inferior ao de outras plantas aromáticas, esta ação continua ajudando a fortalecer o sistema imune, já que elimina radicais livres que atrapalham o correto funcionamento do corpo.

Além disso, a ação antioxidante também tem sido relacionada com a diminuição do risco de desenvolver doenças cardiovasculares e câncer.

5. Eliminar e repelir insetos

De acordo com alguns estudos feitas com o óleo essencial de anis-estrelado, foi identificado que a especiaria tem ação inseticida e repelente contra alguns tipos de insetos. Em laboratório, foi confirmada sua ação contra as "moscas das frutas", baratas germânicas, besouros e até pequenos caramujos.

6. Facilitar a digestão e combater gases

O anis-estrelado possui ação carminativa e anti-inflamatória e, por isso, pode ser consumido após refeições muito pesadas e gordurosas, pois é capaz de facilitar a digestão e de evitar o acúmulo de gases no estômago e no intestino.

Além disso, de acordo com alguns estudos, quando o anis-estrelado é consumido juntamente com a camomila, é possível combater a diarreia.

Confira os benefícios de outras especiarias aromáticas, como o cravinho da índia ou a canela, por exemplo.

Como usar o anis-estrelado

A forma mais popular de utilizar o anis-estrelado é incluir o fruto seco em algumas preparações culinárias, já que é uma especiaria bem versátil que pode ser utilizada para preparar pratos doces ou salgados. No entanto, o anis-estrelado também pode ser utilizado na forma de óleo essencial, que pode ser comprado em algumas lojas naturais, e pode ser utilizado na aromaterapia ou para fazer inalações, dependendo do objetivo do seu uso.

Além disso, é possível encontrar substâncias extraídas do anis-estrelado na composição de medicamentos e de produtos de limpeza, beleza e pasta de dente, por exemplo.

Chá de anis estrelado

O chá de anis estrelado é a principal forma de consumo dessa especiaria, podendo ser tomado ao longo do dia ou após a refeição, caso o objetivo seja o de melhorar a digestão.

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de sementes de anis-estrelado moídas;
  • 250 ml de água fervente.

Modo de preparo

Colocar o anis estrelado na água fervente e deixar repousar 10 minutos. Depois coar o anis-estrelado, deixar amornar e beber 2 a 3 vezes por dia. Para melhorar ou alterar o sabor, também pode ser adicionada uma rodela de limão, por exemplo.

Possíveis efeitos colaterais

O anis-estrelado é considerado seguro, especialmente quando usado na preparação de pratos. Já no caso do chá, ainda existem poucos estudos que avaliem seus efeitos colaterais. Ainda assim, algumas pessoas parecem relatar algumas náuseas após ingerir grandes quantidades. No caso do óleo essencial, se aplicado diretamente na pele, poderá causar irritação da pele.

Quando não deve ser usado

O anis-estrelado está contraindicado para pessoas com hipersensibilidade, grávidas, mulheres em fase de amamentação e crianças, pois até o momento não foram realizados estudos nessa população sobre os efeitos a médio e longo prazo do uso do anis-estrelado e, assim, não é possível indicar que o uso dessa especiaria é seguro.

Esta informação foi útil?

Fechar
Obrigado pela sua mensagem.
Revisão clínica:
Manuel Reis
Enfermeiro
Pós-graduado em fitoterapia clínica e formado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, em 2013. Membro nº 79026 da Ordem dos Enfermeiros.
Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em janeiro de 2022. Revisão clínica por Manuel Reis - Enfermeiro, em janeiro de 2022.

Bibliografia

  • BOOTA, Tabinda; REHMAN, Rafia; MUSHTAQ, Ayesha; KAZEROONI, Elham G. Star Anise: A review on benefits, biological activities and potential uses. International Journal of Chemical and Biochemical Sciences. Vol 14. 110-114, 2018
  • WANG, Guo-Wei et al.. Illicium verum: A review on its botany, traditional use, chemistry and pharmacology. Journal of Ethnopharmacology. Vol.136. 10-10, 2011
Mostrar bibliografia completa
  • CHOUKSEY, Divya et al.. Biological activities and chemical constituents of Illicium verum hook fruits (Chinese star anise) . Pelagia Research Library. Vol.1, n.3. 1-10, 2010
  • SHAHRAJABIAN, Mohamed H. et al.. Chinese star anise and anise, magic herbs in traditional Chinese medicine and modern pharmaceutical science. Asian Journal of Medical and Biological Research. Vol.5, n.3. 162-179, 2019
  • PATRA, Jayanta K. et al.. Star anise (Illicium verum): Chemical compounds, antiviral properties, and clinical relevance. Phytotherapy Research. 1-20, 2019
  • SAYYAR, Hafiza T.. Exotic Spice Illicium Verum Hook.F. Journal of Bahria University Medical & Dental College. Vol.8, n.3. 189-193, 2018
  • SINGH, Priyanka et al.. Shikimic acid as intermediary model for the production of drugs effective against influenza virus. Phytochemicals as Lead Compounds for New Drug Discovery. 245-256, 2020
  • GHOSH, Saptarshi et al.. Production of shikimic acid. Biotechnology Advances. Vol.30. 1425-1431, 2012
  • BOOTA Tabinda; REHMAN Rafia et al. Star Anise: A review on benefits, biological activities and potential uses. International Journal of Chemical and Biochemical Sciences. 14. 110-114, 2018
  • LEAL Antonio. Viva Melhor com as plantas medicinais. 7º. Lisboa Portugal: Edições Une, 2008. 74-75.
  • PERRET C; TABIN R et al. [Apparent life-threatening event in infants: think about star anise intoxication!]. Archives de Pédiatrie Journal. 18. 7; 750-753, 2011

Vídeos relacionados

  • O melhor REMÉDIO NATURAL para GRIPE

    12:17 | 469826 visualizações