Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como funciona o novo adesivo para diabetes

Fevereiro 2020

Pesquisadores da Universidade da Califórnia de Los Angeles desenvolveram um adesivo capaz de detectar as quantidades circulantes de glicose no sangue e, quando verificada uma concentração mais elevada, administra insulina através de microagulhas presentes nesse adesivo, sendo, por isso, considerado um importante avanço no tratamento da diabetes.

O adesivo para diabetes imita a atividade das células do pâncreas responsáveis pela produção de insulina de uma forma mais fácil, não sendo necessária a realização da medição dos níveis de glicose com o glicosímetro e nem a aplicação diária de insulina, diminuindo o desconforto que a pessoa possa sentir durante esses processos. Além disso, de acordo com os pesquisadores, o adesivo consegue funcionar perfeitamente durante 24 horas, sendo necessário trocar em seguida.

Como funciona o novo adesivo para diabetes

Como funciona o adesivo

O adesivo para diabetes é pequeno, tem cerca de 3 centímetros de diâmetro, e possui microagulhas associadas que contém quantidades suficientes de glicose. O material que compõe o adesivo permite monitorar as concentrações de glicose durante o dia.

Quando é verificado que os níveis de glicose atingiram um limite pré-estabelecido, as microagulhas entram cerca de 1 mm na pele e liberam a insulina com o objetivo de regular os níveis de glicose. Assim que a glicemia estiver controlada, a liberação de insulina diminui ou é interrompida.

Através do uso desse adesivo, é possível prevenir que aconteçam picos de hiperglicemia e overdose de insulina, que é quando a pessoa administra uma quantidade acima do indicado, o que pode levar à hipoglicemia, convulsões, coma e até mesmo morte.

Próximos passos

Até o momento, os testes com o adesivo foram feitos apenas em ratos e porcos, em que foi verificado que os adesivos foram capazes de monitorar e controlar os níveis de glicose por cerca de 20 horas nos porcos que foram testados. Como os resultados nos animais foram promissores, espera-se que o Food and Drug Administration (FDA) aprove o pedido de teste em pessoas com o objetivo de verificar a sua eficácia no controle da diabetes.

Além disso, no caso de ser comprovado que o adesivo consegue controlar os níveis de glicose circulantes, os pesquisadores propõem a realização de estudos que adaptem as microagulhas a outros medicamentos e doenças, possuindo maiores aplicabilidades.

Bibliografia >

  • YU, Jicheng et al. Glucose-responsive insulin patch for the regulation of blood glucose in mice and minipigs. Nature Biomedical Engineering. 2020
  • UCLA SCHOOL OF ENGINEERING. UCLA Researchers Develop Coin-Sized Smart Insulin Patch. Disponível em: <https://samueli.ucla.edu/smart-insulin-patch/#>. Acesso em 14 Fev 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem