Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como o ácido úrico na saliva pode indicar o percentual de gordura?

Janeiro 2020

Um estudo realizado por um grupo de pesquisadores brasileiros teve como objetivo identificar a relação das concentrações do ácido úrico salivar com o percentual de gordura de adolescentes, podendo ser utilizado como biomarcador da obesidade, por exemplo. Esse estudo foi motivado pelo fato de que a obesidade é uma problema de saúde pública e que o Brasil possui mais de 50% da população adulta acima do peso e que cerca de 18,9% dos brasileiros são obesos.

Por isso, na tentativa de diminuir esse índice, os pesquisadores estudaram as concentrações de ácido úrico salivar e a sua relação com o percentual de gordura da pessoa, ou seja, utilizaram o ácido úrico salivar como biomarcador preditor de obesidade.

Como o ácido úrico na saliva pode indicar o percentual de gordura?

Como foi feito o estudo

O estudo foi realizado com 248 adolescentes entre 14 e 17 anos, no período de 2014 e 2015, e foram incluídos no estudo tanto meninos quanto meninas, meninas que já haviam tido a primeira menstruação e adolescentes que já possuíam a dentição completa.

Alguns critérios de exclusão também foram definidos, como presença de cáries, ausência de dentes, doenças periodontais, doenças crônicas, uso de remédios por um longo período, uso de cigarro, consumo de drogas ilícitas, uso de antibióticos e recusa para colaborar com as atividades propostas pelos pesquisadores. Dessa forma, caso o adolescente apresentasse qualquer um desses critérios, não era incluído no estudo, uma vez que qualquer uma dessas situações poderia interferir na concentração de ácido úrico salivar.

Após estabelecido o grupo de estudo, os pesquisadores iniciaram a coleta de saliva, e as amostras coletadas foram enviadas para o laboratório para que fossem avaliadas algumas características como pH, concentração de fósforo, ureia e cálcio. Além disso, foi dosada a quantidade de colesterol, vitaminas D2 e D3 e ácido úrico, no entanto para essas análises foi necessário recorrer a uma segunda coleta, que foi indicada para ser feita em casa, dessa vez com o adolescente em 12 horas de jejum.

Além da análise das salivas, foi também feito exame físico, em que foram verificados altura, peso, percentual de gordura, massa óssea e quantidade de masa muscular. A partir dos dados obtidos, foi calculado o Índice de Massa Corporal (IMC), podendo ser feita a classificação dos adolescentes em três grupos de acordo com o IMC: normal, acima do peso e obesos.

Os resultados obtidos foram analisados utilizando uma ferramenta estatística com o objetivo de verificar a relação entre os parâmetros avaliados.

O que foi verificado

Após a análise dos resultados obtidos, os pesquisadores verificaram que não havia relação entre as concentrações de fósforo, ureia, cálcio, colesterol e vitaminas D2 e D3 e o percentual de gordura. No entanto verificaram relação entre o percentual de gordura e a quantidade de ácido úrico salivar, sendo a concentração maior em meninos e naqueles adolescentes que apresentavam maior percentual de gordura.

Dessa forma, como os resultados obtidos confirmava a hipótese do estudo, os pesquisadores puderam propor um modelo preditivo para o percentual de gordura baseado no gênero e na quantidade de ácido úrico salivar.

Esse foi o primeiro estudo que encontrou relação positiva entre o ácido úrico salivar e o percentual de gordura em um grupo grande. Por isso, são necessários mais estudos para que essa correlação seja de fato comprovada e esses parâmetros possam ser utilizados na prática clínica.

Por que a saliva?

A saliva pode ser obtida de forma não invasiva e indolor e pode conter produtos do metabolismo que podem ser indicativos de alterações e, consequentemente, preditores de doença. Por isso, a avaliação do ácido úrico poderia refletir o metabolismo das proteínas, além de também poder estar relacionado com a síndrome metabólica e aumento do risco de doenças cardiovasculares.

A avaliação da concentração de ácido úrico na salivar como fator preditor de maior percentual de gordura e, consequentemente, de síndrome metabólica é pouco explorado, havendo sido realizados apenas 2 estudos pilotos com um grupo amostral pequeno que identificaram essa correlação. Por isso, a saliva é uma amostra que deve ser estudada para que no futuro possa ser incorporada na prática clínica diária.

Bibliografia >

  • ARAUJO, Darlle S. et al. Salivary uric acid is a predictive marker of body fat percentage in adolescents. Nutrition Research. Vol 74. 62-70, 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem