Vaginose bacteriana

publicidade

A vaginose bacterina é uma alteração na flora vaginal normal, com diminuição na concentração de lactobacilos e predomínio de uma espécie de bactérias sobre outras, principalmente da Gardnerella vaginalis. Por ter uma causa orgânica, não é considerada uma DSTNas mulheres, ela é causada pelo aumento da quantidade da bactéria Gardnerella vaginalis na vagina e nem sempre apresenta sintomas, e seu tratamento é feito com o uso de antibióticos.

Sintomas da vaginose bacteriana

Os sintomas da vaginose bacteriana são:

  • Corrimento vaginal de cor amarela, branca ou cinza, que apresenta odor desagradável, tipo cheiro de peixe podre
  • Ardência ao urinar e/ou coceira no exterior da vagina

Algumas mulheres podem não apresentar sintomas.

Diagnóstico da vaginose bacteriana

O diagnóstico da vaginose bacteriana pode ser feito através do exame preventivo, também chamado de papanicolau, num exame de rotina, ou quando este é solicitado pelo ginecologista, quando a paciente relata a sintomatologia da doença. Os critérios para o diagnóstico da vaginose bacteriana são a inclusão de qualquer uma das seguintes condições:

  • ​​Secreção vaginal branca homogênea em grande quantidade
  • Secreção vaginal com pH > 4,5
  • Odor de peixe ao misturar a secreção vaginal com solução de KOH a 10%
  • Demostração microscópica dos micro-organismos causadores da infecção

Tratamento para vaginose bacteriana

O tratamento para a vaginose bacteriana é feito com o uso de antibióticos, como o metronidazol. Durante o tratamento recomenda-se usar preservativo em todas as relações.

Riscos da vaginose bacteriana

Na maioria dos casos, a vaginose bacteriana não causa grandes complicações, porém, existem algumas implicações sérias como:

  • Parto prematuro ou recém-nascido com peso abaixo da média
  • As bactérias que causam a vaginose bacteriana podem infectar o útero e as trompas de falópio. Esta inflamação é conhecida como doença inflamatória pélvica (DIP)
  • A vaginose bacteriana pode aumentar a probabilidade de infecção por DST/AIDS, em casos de exposição ao vírus
  • Pode aumentar a probabilidade de uma mulher ser infectada por outras doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia e gonorreia

Como evitar a vaginose bacteriana

Para evitar a vaginose bacteriana, recomenda-se não fazer duchas vaginais, usar preservativo em todas as relações, restringir o número de parceiros e realizar exames ginecológicos pelo menos uma vez ao ano.

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última atualização do site: 18/09/2014 Última atualização da página: 28/05/2013
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.