Tricomoníase

PUBLICIDADE

A tricomoníase é uma infecção sexualmente transmissível que provoca o surgimento de sintomas como corrimento amarelado e coceira, no caso da mulher, e dor ao urinar ou corrimento esbranquiçado, no caso do homem.

Geralmente, a tricomoníase surge após o contato vaginal sem camisinha, especialmente quando se tem relações sexuais com mais de um parceiro.

A tricomoníase tem cura e seu tratamento pode ser feito com a ingestão de antibióticos prescritos pelo ginecologista ou pelo urologista durante cerca de 7 dias.

Transmissão da tricomoníase

A transmissão da tricomoníase é feita através do contato íntimo sem camisinha, sendo que existe maior risco de pegar a infecção quando se tem mais de um parceiro sexual.

Além disso, a tricomoníase não pega através de sexo anal ou oral, assim como através de beijos, abraços, partilhas de copos ou contato com o vaso sanitário.

Sintomas de tricomoníase

Os principais sintomas de tricomoníase variam de acordo com o sexo e incluem:

Sintomas de tricomoníase na mulher

  • Corrimento amarelado e com cheiro fétido;
  • Dor e inflamação na região íntima;
  • Queimação ao urinar ou durante o contato íntimo;
  • Dor no fundo da barriga.

Sintomas de tricomoníase no homem

  • Dor ao urinar ou ejacular;
  • Aumento da vontade para urinar;
  • Corrimento branco no pênis;
  • Dor e inchaço da glande.

Estes sintomas podem variar de paciente para paciente, sendo que não precisam estar todos presentes para indicar a infecção.

O diagnóstico da tricomoníase normalmente é feito através da análise da secreção vaginal, nas mulheres, ou da secreção retirada da ponta do pênis antes da primeira urina, no caso do homem.

Como tratar a tricomoníase

O tratamento para tricomoníase pode ser feito com o uso de antibióticos, como Metronidazol ou Tioconazol, prescritos pelo urologista no caso do homem ou pelo ginecologista no caso da mulher, durante 5 a 7 dias ou em dose única.

Este tratamento também pode ser feito em casos de tricomoníase na gravidez sem afetar o desenvolvimento normal do bebê, no entanto, deve-se consultar o obstetra antes de iniciar o tratamento.

Durante o tratamento, é ainda recomendado que o parceiro ou parceira faça o mesmo tratamento para evitar o risco de voltar a passar a infecção durante o contato íntimo.

Saiba mais sobre o tratamento em: Como aliviar os sintomas e curar a tricomoníase.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE