Tratamento para herpes genital

publicidade

O tratamento para herpes genital pode ser feito em casa com o uso de remédios antivirais, como Aciclovir, Fancliclovir ou Valaciclovir, durante cerca de 10 a 14 dias. O tratamento não dói e deve ser indicado pelo urologista, no caso do homem, ou pelo ginecologista, na mulher.

Além disso, também podem ser utilizadas pomadas para tratamento da herpes genital, como Aciclovir creme, que deve ser aplicada sobre a região afetada até 5 vezes por dia, ajudando na cicatrização das feridas.

Geralmente, o tratamento para herpes genital masculina é semelhante ao tratamento da herpes genital feminina, no entanto, o casal não deve partilhar as pomadas, uma vez que podem transmitir o vírus de uma pessoa para a outra, dificultando a cura do herpes genital.

A cura da herpes genital somente é atingida quando o sistema imune é capaz de combater o vírus, não existindo remédios capazes de o fazer. Assim, o paciente pode apresentar vários episódios de feridas da herpes ao longo da vida, até que o vírus seja combatido.

Tratamento para herpes genital recorrente

O tratamento para herpes genital recorrente pode ser feito com o uso de um remédio antiviral, como Zovirax ou Penvir quando o paciente apresenta menos de 6 episódios por ano, devendo ser usado quando surgem sintomas de formigamento na região genital, evitando o surgimento das feridas.

Porém, quando existem mais de 6 episódios por ano ou quando os sintomas são muito severos, o médio pode prescrever um tratamento para herpes com Aciclivir comprimido até 12 meses, reduzindo as chances de transmissão e surgimento de sintomas.

Tratamento para herpes genital na gravidez

O tratamento para herpes genital na gravidez deve ser indicado pelo obstetra e, normalmente, é feito com remédios antivirais orais, como o Aciclovir, quando:

  • A grávida apresenta sintomas de herpes recorrente durante a gravidez: o tratamento é iniciado desde as 36 semanas de gestação até ao parto;
  • A gestante é infetada pela primeira vez durante a gravidez: o tratamento deve ser feito durante o restante período da gravidez e, geralmente, é recomendado fazer cesárea para evitar transmitir o vírus para o bebê.

No caso da gestante com herpes recorrente, o parto normal pode ser feito caso a mulher não apresente feridas vaginais, pois o risco de transmissão da infecção é baixo.

Quando o tratamento não é feito de forma adequada, o vírus da herpes pode ser transmitido para o bebê, causando herpes neonatal, que é uma infecção que pode afetar o sistema nervoso central e colocar a vida do bebê em risco.

Cuidados na herpes genital

Para facilitar o tratamento da herpes genital existem alguns cuidados, que incluem:

  • Lavar a região afetada com água e sabão ou água e sal, para evitar infecções;
  • Aplicar compressas frias sobre a área com herpes, para aliviar a dor;
  • Passar vaselina ou uma pomada anestésica, como Xilocaína, após urinar, para aliviar a queimação;
  • Beber bastantes líquidos, como água, chá ou água de coco;
  • Evitar utilizar roupa muito apertada, para não friccionar as feridas da herpes;
  • Evitar partilhar objetos que tenham estado em contato com a região.

Além disso, após diagnóstico da infecção pelo vírus da herpes, o indivíduo deve utilizar preservativo em todas os contatos íntimos para evitar a transmissão.

Sinais de melhora da herpes genital

O sinais de melhora da herpes genital podem surgir a partir do 5º dia de tratamento e incluem a diminuição da dor e a cicatrização das feridas na região íntima do paciente.

Sinais de piora da herpes genital

Quando o tratamento não é feito de forma adequada, podem surgir sinais de piora da herpes genital que se caracterizam pelo inchaço e vermelhidão da região, assim como o preenchimento das feridas com pus.

Além disso, a herpes genital pode ser transportada para outros locais do corpo quando o indivíduo não lava as mãos após tocar na região íntima.

Complicações da herpes genital

A principal complicação da herpes genital é a infecção das feridas quando os cuidados durante o tratamento não são feitos de forma adequada, sendo que, quando isso acontece, o paciente deve ir ao hospital pois pode ser necessário tomar um antibiótico.

Além disso, quando o indivíduo tem contanto íntimo sem preservativo e sem as feridas terem cicatrizado, existe maiores chances de pegar HIV, caso o parceiro esteja infetado.

Link útil:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade