Tratamento para escarlatina

publicidade

O tratamento para escarlatina geralmente é feito com antibióticos como a Penicilina, Amoxicilina ou Azitromicina ou outro tipo de antibióticos como a Eritromicina em indivíduos alérgicos à penicilina, através da ingestão oral ou de injeção durante 7 ou 10 dias.

A escarlatina é uma doença infecciosa, bacteriana e contagiosa que se transmite através da inalação de gotículas de tosse ou espirros de um indivíduo contaminado, mais frequente em crianças e adolescentes até aos 15 anos, que provoca erupções cutâneas avermelhadas em todo o corpo, febre alta e dores de garganta.

Durante o tratamento, a criança deve tomar um banho morno por dia com um sabonete líquido hidratante em pequena quantidade e sem usar esponja. Para ajudar a aliviar a coceira causada pela erupção cutânea, o banho com bicarbonato de sódio pode ser uma opção. Passar um creme hidratante de boa qualidade após o banho, com a pele devidamente seca, ajuda a diminuir os incômodos causados.

Nos primeiros dias, a escarlatina ainda gera muita dor de garganta e febre, por isso é recomendado que os pais ofereçam uma alimentação líquida ou pastosa, para não agredir ainda mais a região e a criança conseguir engolir e comer.

É recomendado que a criança fique em casa logo que surjam os sintomas da doença por causa do contágio e do mal estar geral, mas 24 horas após o início do tratamento e sob indicação do pediatra, ela pode regressar à escola e às suas atividades normais.

Após 48 horas do início do tratamento, os sintomas da doença podem desaparecer, mas não é recomendado parar o tratamento antes da data prevista, pelo risco de complicações. Assim, mesmo que a criança não tenha mais nenhum sintoma de escarlatina os pais devem continuar dando o medicamento até ao final.

Links úteis:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última atualização do site: 19/07/2014 Última atualização da página: 24/03/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.