Tratamento para curar a Distensão Muscular mais rápido

O tratamento para distensão muscular, que consiste na ruptura do tendão que liga o músculo ao osso, ou muito próxima do tendão, pode ser feito através da aplicação de gelo nas primeiras 48 horas após a lesão e o repouso, podendo ser necessário o uso de talas ou muletas, por exemplo.

Assim que possível deve-se iniciar a fisioterapia para que a reabilitação seja realizada e o músculo possa ser restaurado, mantendo a qualidade de vida, mas inicialmente o médico pode prescrever a toma de analgésicos e anti-inflamatórios para diminuir a dor, o incômodo, facilitando a cicatrização da lesão.

Remédios para distensão muscular

Os remédios indicados são os anti-inflamatórios, como o Ibuprofeno, sob orientação médica. Passar a pomada de Arnica ou Cataflan no local, além de diminuir a dor, diminui a inflamação, sendo uma boa opção para complementar o tratamento.

Fisioterapia para distensão muscular

fisioterapia para distensão muscularfisioterapia para distensão muscular

As sessões de fisioterapia para reabilitação de uma distensão muscular devem ser feitas diariamente ou em dias alternados para facilitar a recuperação. O tratamento deve ser indicado pessoalmente pelo fisioterapeuta após uma avaliação e observação dos exames solicitados pelo médico e pode incluir o uso de compressas de gelo ou calor, dependendo da necessidade, e o uso de aparelhos como tens, ultrassom e laser, por exemplo.

Gelo e descanso

Nas primeiras 48 horas após a lesão é recomendado aplicar uma compressa de gelo, durante 20 minutos, de 3 a 4 vezes por dia. É importante cobrir o gelo com uma gaze, fralda ou tecido fino para proteger a pele de queimaduras. Também é importante manter a articulação afetada mais elevada que o restante do corpo. Assim, que as pernas forem afetadas, você pode colocar gelo e deitar com uma almofada por baixo das pernas, para que o inchaço diminua.

Nos primeiros 6 dias após a lesão, não é recomendado fazer nenhum tipo de esforço e por isso deve-se optar por não treinar e não forçar a articulação, mantendo-a sob repouso. Pode ser útil enfaixar a região com gaze ou usar uma tala, e quando a lesão é nas pernas, pode ser indicado andar com muletas.

Veja no vídeo a seguir mais detalhes:

Equipamentos da fisioterapia e massagem

Logo no início de cada sessão o fisioterapeuta poderá indicar o uso de aparelhos como tens, ultrassom ou laser, utilizando os parâmetros adequados para diminuir a dor e a inflamação, auxiliando na cicatrização da ferida. A massagem de relaxamento muscular é indicada para desinchar e promover o esvaziamento do músculo, trazendo alívio da dor e dos sintomas, mas também pode ajudar a combater a contratura muscular que se instala.

Exercícios de alongamento e fortalecimento

Os exercícios de alongamento só devem ser realizados após 1 semana de repouso, com cuidado para não aumentar a dor. Inicialmente é mais indicado que seja o fisioterapeuta a alongar o músculo afetado, durante 30 segundos a 1 minuto, repetindo pelo menos 3 vezes. Já o fortalecimento muscular só pode ser iniciado quando a dor é mínima e inicialmente é recomendado que sejam contrações isométricas, onde não se observa o movimento das articulações, apenas a contração muscular.

Com a melhora dos sintomas os exercícios podem progredir, com uso de faixas elásticas e a seguir pesos. Na última fase de tratamento deve-se realizar exercícios de estabilidade articular como a propriocepção. Veja alguns exemplos aqui.

exercícios de alongamentoexercícios de alongamento

Sinais que podem indicar excesso de exercícios

Alguns sinais que podem indicar que o tratamento está sendo muito intenso, o que também pode prejudicar a recuperação da lesão, são:

  • Dor após a fisioterapia que não diminui em 4 horas ou não desaparece em 24 horas;
  • Dor que se inicia mais cedo que na sessão anterior;
  • Maior rigidez e diminuição da amplitude de movimentos;
  • Inchaço, dor ou calor na região afetada após os exercícios;
  • Fraqueza muscular que se instala após o início da fisioterapia.

Com o avanço dos exercícios fisioterápicos é normal haver um aumento da dor, assim como ocorre após ir à academia de ginástica, que dura cerca de 4 horas, mas se os outros sinais estiverem presente, é importante diminuir a intensidade do tratamento, diminuindo a dificuldade dos exercícios.

Cirurgia para distensão muscular

Raramente o médico aconselha uma cirurgia para reparação da distensão muscular porque normalmente o músculo e o tendão se recuperam totalmente com o tratamento clínico e fisioterapêutico, sem necessitar de intervenção cirúrgica. A cirurgia fica restrita aos atletas de alta competição, quando estes sofrem um estiramento muscular muito próximo das datas de competições muito importantes e inadiáveis.

Tratamento caseiro para distensão muscular

Para complementar o tratamento clínico e fisioterapêutico, o indivíduo pode, após 48 horas da lesão, aplicar compressas mornas na região dolorida, duas vezes ao dia, além de evitar esforços e usar uma pomada anti-inflamatória na região, com o conhecimento do médico. Bons exemplos são Cataflan ou Calminex, por exemplo.

Veja um bom remédio caseiro para distensão muscular.

Quanto tempo demora o tratamento

O tempo de tratamento para distensão muscular pode ser de 2 semanas a 6 meses, dependendo do grau do estiramento. Lesões de estiramento muscular,

  • Grau 1: demora cerca de 2 semanas para curar,
  • Grau 2: demora cerca de 8 a 10 semanas para curar;
  • Grau 3: podem demorar até 6 meses a 1 ano para curar.

Quanto mais comprometido o paciente estiver com o tratamento, melhores serão os resultados, e por isso é importante seguir todas as orientações do médico e do fisioterapeuta para a recuperação completa. Em todo caso todas as lesões passam pelo mesmo processo de cicatrização: Inicial, há mais inflamação e dura cerca de 6 dias, Fase subaguda: A inflamação diminui e começa a reparação, esta fase pode durar até 6 semanas e na fase de maturação e remodelamento, não há dor, apenas limitação dos movimentos, e pode durar de 6 meses a 1 ano.

Sinais de melhora e de piora

Os sinais de melhora podem ser diminuição do inchaço, da dor e redução do hematoma. Quando o indivíduo consegue movimentar a região afetada pela lesão com menos dor e consegue realizar uma contração muscular, mesmo que leve, isso pode indicar a recuperação do estiramento.

Complicações da distensão muscular

As complicações da distensão muscular podem ser o aumento da dificuldade de cicatrização, permanência da dor e diminuição da força e da amplitude dos movimentos, que pode ser muito danoso para atletas de competição, e por isso o tratamento deve ser realizado conforme as orientações do ortopedista e do fisioterapeuta.

Veja alguns exemplos de recursos que podem ser realizados na fisioterapia:

Mais sobre este assunto: