Tratamento da rubéola

PUBLICIDADE

O tratamento da rubéola é feito apenas para controlar os sintomas, pois não há um tratamento específico para esta doença, e em geral o paciente se recupera após cerca de 7 a 10 dias.

Assim, o tratamento é feito com medicamentos para controlar as dores musculares e a febre, como Parassetamol, uso de aerosol para melhorar a respiração e aumento da ingestão de líquidos para evitar a desidratação e aliviar a tosse.

PUBLICIDADE

Para melhorar a respiração em crianças, deve-se dar bebidas mornas com mel e limão, pois isso relaxa os pulmões e ajuda a soltar o muco. No entanto, é importante lembrar que o mel não deve ser dado para crianças menores de 1 ano, e que a aspirina não deve ser dada para menores de 16 anos.

Tratamento da rubéola

Complicações da rubéola

Apesar de a rubéola ser uma doença leve em crianças e adultos, ela pode trazer complicações para mulheres grávidas, como artrite nos dedos, nos pulsos e nos joelhos, que costuma durar cerca de 1 mês, e recém-nascidos, podendo causar problemas como:

  • Surdez;
  • Deficiência mental;
  • Problemas cardíacos, no pulmões, no fígado ou na medula óssea;
  • Catarata;
  • Atrasos no crescimento;
  • Diabetes tipo 1;
  • Problemas na tireoide.

É importante lembrar que as consequências rubéola para os bebês são piores quando a mulher é infectada pela doença até a 10ª semana de gestação, reduzindo os riscos de problemas quando a doença aparece após a 20ª semana. Veja as alterações que podem acontecer clicando aqui.

Como prevenir

Para prevenir a rubéola deve-se manter a vacinação em dia e evitar o contato com pessoas infectadas. Os bebês tomam vacina contra a rubéola no 1º ano de vida, e depois a dose de reforço é dada entre os 10 e os 19 anos.

Mulheres que planejam engravidar devem pedir ao médico para fazer o teste que verifica a imunidade contra a rubéola, e se não forem imunes devem tomar a vacina, lembrando que é preciso esperar pelo menos 1 mês após a vacina para engravidar, e que esta vacina não deve ser tomada durante a gravidez.

Saiba outras situações em que a vacina da Rubéola pode ser perigosa.

PUBLICIDADE