Tratamento da Epilepsia

publicidade

O tratamento para epilepsia serve para diminuir o numero e a intensidade das crises epiléticas. 

epilepsia não tem cura, mas o uso correto de medicação indicada pelo médico neurologista e evitar situações que provoquem as crises epilépticas ajudam a controlar a doença.

O tratamento da epilepsia pode ser feito com:

  • Anticonvulsivantes: remédios como Fenobarbital, Fenitoína, Valproato ou Carbamazepina irão alterar o funcionamento do cérebro e diminuir a duração das crises epiléticas.
  • Cirurgia ao cérebro:utilizada nos casos mais graves da doença em que o tratamento medicamentoso não funcionou. Este procedimento consiste na retirada da parte afetada do cérebro, desde que seja uma parte pequena e que não afete o funcionamento global do cérebro, ou na implantação de eletrodos para regular os impulsos elétricos.
  • Estimulação do nervo vago: colocação de um implante sob a pele do peito do paciente que liberta impulsos elétricos que estimulam o nervo vago, o principal nervo que liga o cérebro ao corpo, reduzindo as convulsões em 40%.

Um remédio natural para epilepsia é fazer uma dieta rica em gorduras e pobre em carboidratos e proteínas. Isto faz com que o organismo utilize gordura em vez de açúcar para ter energia, controlando mais facilmente a excitação cerebral.

A acupuntura e a meditação, juntamente com medicação, também ajudam a controlar a epilepsia, uma vez que relaxam o indivíduo e eliminam a tensão no paciente, controlando melhor a doença.

Tratamento para epilepsia infantil

O tratamento para epilepsia infantil consiste na toma de remédios anticonvulsivantes como Carbamazepina, Fenitoína ou Valproato. Estes remédios devem ser tomados de acordo com indicação do neurologista, pois podem provocar efeitos colaterais desagradáveis para a criança como sonolência, ganho de peso ou problemas de fala.

A dieta cetogênica, rica em gordura e pobre em carboidratos e proteínas, é bastante utilizada como tratamento para epilepsia infantil, pois tem bastantes resultados no controle das crises convulsivas. Esta dieta deve ser indicada por um nutricionista para que se possa ajustar a quantidade de gordura, vitaminas e minerais necessárias para a criança, evitando situações de hipoglicemia e má nutrição.

A cirurgia ao cérebro e a estimulação do nervo vago também estão indicados na criança, embora só devam ser usados em situações muito graves, pois podem causar danos no desenvolvimento normal da criança.

Tratamento para epilepsia na gravidez

O tratamento para epilepsia na gravidez com medicamentos deve ser evitado, pois os anticonvulsivantes podem provocar alterações no desenvolvimento do bebê e malformações.

As mulheres que tenham crises de epilepsia regulares e necessitem de medicação para as controlar, devem aconselhar-se com o seu médico neurologista e alterar a medicação para remédios que não tenham tantos efeitos colaterais no bebê. Devem também tomar 5 mg de ácido fólico antes e durante a gestação e a vitamina K deve ser administrada no último mês da gravidez.

Uma forma de controlar as crises convulsivas na gravidez é evitar os fatores que causem epilepsia na mulher e utilizar técnicas de relaxamento para evitar o estresse.

Links úteis:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última atualização do site: 18/09/2014 Última atualização da página: 23/03/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.