Sintomas de epilepsia

PUBLICIDADE

​Os principais sintomas de epilepsia incluem convulsões, que são contrações violentas e involuntárias dos músculos e podem levar o indivíduo a ficar se debatendo por alguns segundos até 2 a 3 minutos e, geralmente estes sintomas ocorrem devido a alterações na condução de impulsos nervosos no cérebro, ocorrendo uma atividade elétrica excessiva. 

Os sintomas de epilepsia muitas vezes ocorrem sem aviso e, podem ocorrer de dia ou durante o sono, podendo afetar indivíduos de todas as idades, desde bebês até idosos. No entanto, a epilepsia pode apenas causar uma crise de ausência, que é quando o indivíduo fica parado e totalmente ausente, não falando nem reagindo ao toque durante poucos segundos, sendo dificilmente percebida pelos familiares.

Além disso, existem vários tipos de epilepsia, como tônico-clônicas ou as crises de ausência e algumas das causas da epilepsia podem ser pancada forte na cabeça, tumores cerebrais, luz ou sons muito fortes ou doenças genéticas, por exemplo. Saiba mais causas da doença em: Epilepsia.

Sintomas de epilepsia generalizada

Quando ocorre uma crise de epilepsia tônico-clônica, popularmente conhecida por grande mal, ocorrem alterações em todo o cérebro levando à perda de consciência e podem surgir sintomas, como:

  • Cair no chão;
  • Contrações descontroladas e involuntárias dos músculos do corpo;
  • Rigidez dos músculos, especialmente dos braços, pernas e tórax;
  • Salivar muito, chegando a babar;
  • Morder a língua e ranger os dentes;
  • Incontinência urinária;
  • Dificuldade em respirar;
  • Pele avermelhada;
  • Alterações no cheiro, que pode ser agradável ou muito desagradável;
  • Fala imperceptível;
  • Agressividade, podendo resistir à ajuda;
  • Confusão e falta de atenção;
  • Sonolência.

Durante as crises de epilepsia é comum a perda de consciência que faz com que o indivíduo não se lembre do episódio. Depois da crise é normal sentir sonolência, dor de cabeça náuseas e vômitos.

Quando a crise de epilepsia dura mais de 5 minutos deve-se pedir ajuda médica, ligando para o 192, ou levar a vítima imediatamente para o hospital. Para saber o que fazer em caso de crise leia: o que fazer na crise de epilepsia.

Sintomas de epilepsia parcial

Em algumas situações, a epilepsia pode afetar apenas uma pequena parte dos neurônios do cérebro, causando sintomas mais leves e que correspondem à parte do cérebro atingida. Por exemplo, se a atividade intensa do cerebral ocorre na parte cérebro que controla os movimentos da perna esquerda, este pode apresentar contrações e rigidez. Por isso, neste caso de epilepsia, os sintomas são limitados à área afetada.

Sintomas de crise de ausência

A crise de ausência, comumente conhecida por pequeno mal causa sintomas menos intensos, como:

  • Ficar parado e muito quieto;
  • Permanecer com um olhar vazio;
  • Mexer descontroladamente os músculos do rosto;
  • Fazer movimentos como se estivesse mastigando;
  • Mexer o braço ou perna constantemente, mas de uma forma ligeira;
  • Formigamento nos braços ou pernas;
  • Pequena rigidez dos músculos.

Além disso, neste tipo de crises, normalmente não ocorre perda de consciência, apenas uma sensação estranha de dejá vu, sendo que na maioria dos casos dura apenas entre 10 a 30 segundos.

Sintomas de epilepsia benigna da infância

A epilepsia infantil na maioria dos casos é benigna e normalmente surge entre os 3 e os 13 anos de idade, sendo as crises de ausência o tipo mais comum, em que a criança fica parada e sem reação. Saiba quais são os sintomais específicos em: Como identificar e tratar a crise de ausência.

Tratamento para epilepsia

O tratamento para epilepsia deve ser orientado por um neurologista e, geralmente, é feito com a ingestão diária de um remédio antiepiléptico, como Oxcarbazepina, Carbamazepina ou Valproato de sódio, por exemplo.

Quando as crises de epilepsia não ficam controladas com a toma do medicamento, pode ser necessário associar vários remédios. Além disso, em alguns casos, quando os medicamentos não fazem efeito pode ser necessário fazer uma cirurgia

Durante o tratamento, os indivíduos com crises de epilepsia devem evitar situações que causem convulsões, tais como ficar muito tempo sem dormir, beber álcool em excesso ou estar em ambientes com muitos estímulos visuais, como é o caso das discotecas.

Para saber mais sobre o tratamento desta doença leia:

PUBLICIDADE