Saiba o que é, sintomas e como tratar a Sífilis

PUBLICIDADE

A sífilis, também chamada de cancro duro ou Lues, é uma doença causada pela bactéria Treponema pallidum. Na maior parte dos casos, essa doença é transmitida através do contato íntimo sem uso de preservativo. Os primeiros sintomas são feridas indolores no pênis, no ânus ou na vulva, desaparecem espontaneamente, voltando depois de forma mais grave e em todo o corpo.

A sífilis também pode infectar o feto durante a gravidez, sendo então chamada de sífilis congênita. Essa doença tem cura e o seu tratamento é feito através de injeções de penicilina, de acordo com a fase da doença em que o indivíduo se encontra.

Sintomas da sífilis

1. Sífilis Primária

A sífilis primária é o primeiro estágio da doença, que surge cerca de 3 semanas após o contágio. O principal sintoma da sífilis primária é o cancro duro, pequenas lesões avermelhadas que surgem nos órgãos genitais e que desaparecem após cerca de 4 a 5 semanas.

Nos homens, o cancro duro costuma aparecer na região do prepúcio, enquanto nas mulheres surge nos pequenos lábios e na parede vaginal. No entanto, o cancro duro também pode surgir no ânus, na boca, na língua, nas mamas e nos dedos das mãos.

2. Sífilis Secundária

Após 6 a 8 semanas do desaparecimento do cancro duro na sífilis primária, começam os sintomas da sífilis secundária, que surgem como surtos de lesões na pele e nos órgãos internos.

Essas lesões são caracterizadas como manchas vermelhas na pele, na boca, no nariz, nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, e algumas vezes também descamação intensa da pele. Outros sintomas que podem surgir são:

  • Ínguas;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de garganta;
  • Dor muscular;
  • Mal estar;
  • Febre;
  • Perda do apetite;
  • Emagrecimento.

Esta fase segue durante o primeiro e segundo ano da doença, ocorrendo novos surtos que regridem espontaneamente, intercalados por intervalos sem sintomas que costumam ser cada vez mais duradouros.

3. Sífilis Terciária

Após a sífilis secundária, alguma pessoas passam para o terceiro estágio da doença, que é caracterizado por lesões maiores na pele, boca e nariz, e problemas cardíacos, no sistema nervoso, nos ossos, nos músculos e no fígado.

Além das feridas na pele, alguns dos sintomas mais graves são:

  • Paralisia geral progressiva;
  • Alterações da personalidade;
  • Reflexos nervosos exagerados;
  • Pupilas não responsivas à luz
  • Aneurisma e regurgitação da aorta, principal vaso sanguíneo do corpo.

Esse sintomas geralmente surgem entre 10 a 30 anos após a infecção inicial e quando não é feito o tratamento da doença.

Fotos da sífilis

Diagnóstico da sífilis

O diagnóstico da sífilis primária ou secundária é feito através da observação e raspagem das feridas para avaliar a presença da bactéria. No caso de pessoas que não apresentem os sintomas ou gestantes é realizado um exame de sangue chamado VDRL que irá identificar a presença de anticorpos contra a sífilis.

Tratamento para sífilis

O tratamento para a sífilis é feito com o uso de antibióticos como a Penicilina, e a dose e a duração dependendo da gravidade e do tempo de contaminação da doença. O mesmo tratamento com inejções de penicilina é feito para as mulheres grávidas, a fim de evitar o contágio do bebê com sífilis.

Durante o primeiro ano de tratamento o paciente deverá realizar exames de sangue a cada 3 meses para identificar a eficácia do tratamento, e no segundo ano os exames são feito a cada 6 meses.

O que é Sífilis Congênita

A sífilis congênita ocorre quando a mulher grávida tem sífilis e a doença para o bebê, através da placenta. Nesse caso, o bebê pode desenvolver alterações nos ossos e nos dentes, aumento do fígado e do baço, feridas na pele, anemia, icterícia, rinite, feridas na boca e ínguas. Também é comum que o bebê nasça morto ou que morre ainda na infância, devido à problemas pulmonares.

Como se pega sífilis

A principal forma de contágio da sífilis é através da relação íntima sem uso de preservativo. O risco de contaminação é ainda maior quando há lesões ou feridas na vagina ou no pênis, pois facilita a passagem da bactéria para o sangue.

Nas fases mais avançadas onde há lesões na pele e na boca, a sífilis também pode ser transmitida pelo beijo ou através do toque nas lesões. Na gravidez, mulheres com sífilis não tratada podem passar a doença para o feto e, em casos mais raros, essa doença também pode ser transmitida através de objetos contaminados, agulhas de tatuagem e transfusões de sangue.

Como prevenir a sífilis

A prevenção da sífilis é feita com o uso do preservativo em todos os contatos íntimos e através da diminuição da quantidade de parceiros. Durante o tratamento, recomenda-se não ter relações.

Além disso, mulheres grávidas devem fazer o exame para sífilis durante o pré-natal, e seguir corretamente o tratamento médico para que não passem a doença para o bebê.

Veja mais sobre a sífilis em:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE