Prolapso uterino

publicidade

Prolapso uterino é a descida do útero pelo interior da vagina causada pelo enfraquecimento dos músculos que mantém os órgãos dentro da pelve na posição correta. O prolapso uterino é mais comum com o aumento da idade, mas poderá ocorrer antes da menopausa.

A classificação do prolapso uterino é feita de acordo com o nível de descida do útero pela vagina. São classificados da seguinte maneira:

  • Prolapso uterino de primeiro grau: o útero desce, mas o colo do útero não aparece na vulva;
  • Prolapso uterino de segundo grau: O útero desce e o colo aparece junto com a parede anterior e posterior da vagina;
  • Prolapso uterino de terceiro grau: O útero está fora da vulva.

Outros órgãos da região da pelve como as paredes da vagina, bexiga e reto também poderão sofrer este deslocamento devido ao enfraquecimento dos músculos de sustentação da pelve.

Tratamento para prolapso uterino

O tratamento do prolapso uterino poderá ser feito com exercícios para fortalecer os músculos pélvicos chamados exercícios de Kegel, uso de cremes ou anéis contendo hormônio para serem aplicados na vagina pois poderão ajudar a restaurar o tecido vaginal em alguns casos, mas quando se trata de prolapso uterino grave, somente a cirurgia poderá ser eficaz.

Cirurgia para prolapso uterino

A cirurgia para prolapso uterino é segura e eficaz sendo indicada quando o prolapso é grave e não responde as outras formas de tratamento. A cirurgia pode ser realizada por via vaginal ou por via abdominal.

  • A cirurgia laparoscópica poderá ser usada para o reposicionamento do útero no seu local de origem no caso da paciente não poder fazer a retirada do útero, o mantendo dentro da vagina por um aparelho chamado pessário, e
  • A cirurgia de retirada do útero deverá ser indicada pelo médico nos casos de prolapso uterino em mulheres na menopausa, ou quando o prolapso é muito grave.

Laparoscopia é o procedimento cirúrgico com uso de vídeo aonde o útero será reposicionado, através de pequenos orifícios na pele e instrumentos cirúrgicos muito finos para colocação de "redes" que manterão o útero na sua posição. A laparoscopia oferece vantagens como tempo mais curto na recuperação do paciente e cicatrizes de menores tamanhos.

Já a histerectomia é um procedimento cirúrgico que consiste na retirada total ou parcial do útero ou outros órgãos da pelve,é realizado com anestesia geral no paciente. A histerectomia é eficaz na cura do prolapso uterino, porém poderá desencadear menopausa imediata se os ovários também forem retirados.

Foto do prolapso uterino

Sintomas do prolapso uterino

Os sintomas do prolapso uterino são:

  • Dor baixa;
  • Corrimento vaginal;
  • Sensação de algo saindo pela vagina;
  • Incontinência urinária;
  • Dificuldade em evacuar;
  • Dor nas relações sexuais.

Quando o prolapso uterino é menos grave os sintomas podem não ser observados. A causa mais comum do prolapso uterino é o enfraquecimento muscular da pelve devido à idade. Algumas das causas que contribuem para a ocorrência do prolapso geralmente são:

  • Partos múltiplos;
  • Menopausa devido a redução do hormônio estrogênio.
  • Sequelas de infecções anteriores na região da pelve;
  • Obesidade;
  • Levantamento excessivo de pesos;

Tosse cronica, constipação intestinal, tumores pélvicos, acumulo de líquido no abdome, causam aumento da pressão no abdome e na pelve e por isso também podem causar o prolapso uterino.

O diagnóstico do prolapso uterino é feito com exames clínicos que avaliam todos os órgãos da pelve simultaneamente, além de exames ginecológicos como a colposcopia e esfregaços vaginais feitos pelo ginecologia para avaliar a melhor forma de tratamento.

Links úteis:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última atualização do site: 29/07/2014 Última atualização da página: 27/01/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.