O que pode causar o Pólipo uterino

PUBLICIDADE

A alteração hormonal é a principal causa do desenvolvimento de pólipo uterino, e por isso normalmente, as mulheres com distúrbios hormonais como as que apresentam menstruação irregular, sangramento fora do período menstrual ou menstruação prolongada possuem maior risco de desenvolver estes pólipos endometriais.

Existe um maior risco de desenvolvimento de pólipos uterinos nas mulheres que tomam Tamoxifeno devido a câncer de mama, em caso de uso prolongado de estrogênios, síndrome dos ovários policísticos e nas inférteis.

Na maior parte das vezes os pólipos uterinos não necessitam de tratamento específico, porém o ginecologista pode prescrever medicamentos hormonais ou optar pela sua retirada. Veja como pode ser feito o tratamento: Como tratar o pólipo uterino para prevenir o câncer.

O pólipo uterino não é câncer, porém em alguns casos, pode se transformar numa lesão maligna, por isso é sempre importante uma nova avaliação de 6 em 6 meses, para verificar se o pólipo aumentou ou diminuiu de tamanho; se surgiram outros ou se ele desapareceu. As mulheres com maior risco de desenvolver câncer endometrial são aquelas que além da alteração hormonal, estão obesas, apresentam pressão alta ou têm historial de pólipos uterinos na família.

O que são pólipos uterinos

Geralmente, os pólipos uterinos são mais frequentes em mulheres que estão na menopausa, no entanto, também podem surgir em mulheres mais novas, podendo causar dificuldade para engravidar, dependendo do tamanho e localização do pólipo.

O pólipo uterino, também conhecido como pólipo endometrial, consiste no crescimento excessivo de células na parede interna do útero, formando bolinhas semelhantes a cistos que se estendem para o interior do útero.

Sintomas de pólipo uterino

O principal sintoma de pólipo uterino é o sangramento anormal durante a menstruação, com uma quantidade maior de sangue. No entanto, outros sintomas incluem:

  • Período menstrual irregular;
  • Sangramento vaginal entre cada menstruação;
  • Sangramento vaginal após contato íntimo;
  • Dificuldade para engravidar

Além disso, dependendo da sua localização e do seu tamanho, eles também podem causar dor durante a menstruação, mas esta pode ser confundida com uma cólica menstrual comum.

A mulher com estes sintomas deve consultar o ginecologista para fazer exames, como ultrassonografia pélvica, para diagnosticar o problema e iniciar o tratamento adequado.

Tratamento para pólipo uterino

O tratamento para pólipo uterino deve ser orientado por um ginecologista e, normalmente, só é iniciado quando provoca sintomas ou quando existe suspeita de malignidade. Assim, é comum que o tratamento seja feito com remédios hormonais, como Progesterona, para reduzir o tamanho do pólipo, até que desapareça.

Porém, caso a mulher queira engravidar e o pólipo esteja causando dificuldade para engravidar, o médico pode ainda fazer uma histeroscopia que consiste em inserir um instrumento desde a vagina até ao útero, para retirar o pólipo uterino.

Nos casos mais graves, em que o pólipo não desaparece com a mediação, não pode ser retirado com histeroscopia ou desenvolveu para câncer, o ginecologista pode aconselhar fazer uma cirurgia para retirada do útero. Veja o que acontece após a retirada do útero.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE