O que pode causar líquido amniótico aumentado

O aumento da quantidade de líquido aminótico, também conhecido com polidrâmnio, na maioria dos casos, está relacionado com a incapacidade do bebê para absorver e engolir o líquido nas quantidades normais. No entanto, o aumento do líquido amniótico também pode acontecer devido a outros problemas que promovem o aumento exagerado na produção do líquido aminótico.

Assim, as principais causas do líquido amniótico aumentado incluem:

  • Diabetes gestacional: o aumento das quantidades de açúcar no sangue da grávida faz com que o bebê produza mais urina, aumentando a quantidade de líquido amniótico;
  • Problemas gastrointestinais no bebê: podem diminuir a capacidade do bebê para absorver o líquido amniótico e, nestes casos, pode ser necessário fazer cirurgia após o nascimento para tratar o problema no bebê;
  • Crescimento anormal de vasos sanguíneos na placenta: promove uma produção exagerada de líquido amniótico;
  • Infecções na grávida ou no bebê como rubéola, citomegalovírus, toxoplasmose ou sífilis;
  • Doenças cromossômicas como Síndrome de Down ou Síndrome de Edwards.

Independentemente da causa, o aumento da quantidade de líquido amniótico não significa que o bebê irá nascer com alguma má-formação ou doença, pois na maior parte dos casos, o bebê nasce completamente saudável.

Diagnóstico do líquido amniótico aumentado

Quando o valor de líquido amniótico se encontra aumentado no resultado do ultrassom, o obstetra normalmente pede outros exames de diagnóstico, como ultrassonografia mais detalhada, amniocentese ou teste de glicose para avaliar se a grávida ou o bebê têm alguma doença que possa estar aumentando a quantidade de líquido amniótico.

Como é feito o tratamento do líquido amniótico aumentado

O tratamento para líquido aminótico aumentado normalmente não é necessário, sendo apenas recomendado manter consultas regulares no obstetra para avaliar a quantidade de líquido amniótico. Porém, quando o problema é causado por uma doença, como diabetes gestacional, o médico pode recomendar fazer o tratamento para esse problema de forma a controlar a produção de líquido amniótico. Saiba como é o tratamento em: Diabetes gestacional.

Já nos casos mais graves, em que o aumento do líquido amniótico está provocando o parto ou sintomas como dificuldade para respirar e dor abdominal, o obstetra pode recomendar retirar uma parte do líquido com uma agulha ou utilizar remédios, como a Indometacina, que ajudam a diminuir a produção de urina pelo bebê e, consequentemente, diminuem a quantidade de líquido amniótico.

Consequências do líquido amniótico aumentado

As principais consequências de uma gravidez com líquido amniótico aumentado incluem:

  • Parto prematuro devido a ruptura prematura da bolsa de água;
  • Crescimento e desenvolvimento fetal excessivo;
  • Descolamento da placenta;
  • Parto por cesárea.

Geralmente, quanto mais cedo surgir o aumento de líquido amniótico na gestação e quanto mais grave for o problema, maior é risco de desenvolver consequências.

Saiba quais os valores normais de líquido amniótico por idade gestacional:

Mais sobre este assunto: