Saiba quais são as chances de Cura do Linfoma Não-Hodgkin

PUBLICIDADE

O linfoma não-Hodgkin é um tipo de câncer linfático que tem cerca de 80% de cura, especialmente se ele for descoberto em sua fase inicial e se seu tratamento for iniciado o mais rápido possível. Na maioria dos casos  o tratamento é feito com a associação da quimioterapia com radioterapia ou com o uso dos anticorpos monoclonais e citocinas.

Os linfomas não-Hodgkin indolentes apesar de irem se desenvolvendo mais lentamente são mais difíceis de curar e os linfomas não-Hodgkin agressivos desenvolvem-se de forma muito rápida mas geralmente são mais fáceis de serem curados, principalmente quando a doença é descoberta no início e é corretamente tratada.

PUBLICIDADE

Entenda o que é um linfoma não-hodgkin.

Os pacientes com linfoma não-Hodgkin indolentes também possuem boas chances de cura se forem medicados com o fármaco mais correto precocemente. Para descobrir qual é este medicamento os médicos podem precisar de algum tempo para classificar corretamente o tipo de linfoma não-Hodgkin que o indivíduo têm, mas este tempo será recompensado pelas melhoras significativas que o medicamento correto trará. Veja os remédios que podem ser usados em: Tratamento para linfoma não-Hodgkin

Saiba quais são as chances de Cura do Linfoma Não-Hodgkin

Prognóstico em caso de linfoma não-Hodgkin

O prognóstico em caso de linfoma não-Hodgkin é muito individualizado, pois depende de vários fatores como o tipo de tumor que o indivíduo possui, o seu estadiamento, o estado de saúde geral do indivíduo, do tipo de tratamento que vem sendo feito e quando ele foi iniciado.

A taxa de sobrevivência a este tipo de tumor é alta mas varia conforme:

  • Idade: quanto mais idosa a pessoa, maiores são as chances de não haver cura; 
  • Volume do tumor: quando mais de 10 cm, piores as chances de cura.

Assim, pessoas com mais de 60 anos de idade, que possuem tumores com mais de 10 cm tem menos chances de cura e podem falecer em cerca de 5 anos. 

Os linfomas de baixo grau são indolentes e geralmente não tem cura e podem ter metástases, alguns exemplos são: linfoma folicular, linfoma de zona marginal, linfoma linfocítico, linfoma linfoplasmacitóide. Estes podem demorar anos para se manifestar, e por serem menos agressivos, o indivíduo pode viver mais de 10 anos com ele, mas estes são muito mais difíceis de serem curados, pois não respondem bem aos tratamentos disponíveis.

Os linfomas de alto grau são mais agressivos mas são mais fáceis de curar e apesar destes poderem levar à morte em poucos meses, se não for tratado, eles respondem bem à radioterapia e a quimioterapia. Alguns exemplos são: linfoma de burkitt, linfoma linfoblásticos e linfoma difuso de grandes células B.

Veja quais os sintomas que podem indicar o linfoma, e identifique o problema precocemente: Sintomas de linfoma não-Hodgkin.

PUBLICIDADE