Ictiose

publicidade

A ictiose é uma doença de pele genética, também conhecida como Doença da escama de peixe ou Ictiose vulgar, que é caracterizada pelo intenso ressecamento e descamação da pele, especialmente na região do tronco, pernas e pés.

Geralmente, a ictiose é congênita, passando de pais para filhos, no entanto, é possível que a doença surja apenas na idade adulta devido a outros problemas, como sarcoidose, insuficiência renal ou hipotireoidismo, sendo chamada de ictiose adquirida.

A ictiose não tem cura, mas pode ser controlada com o uso de cremes hidratantes e outros cuidados que evitam o ressecamento da pele, como utilizar um sabonete de pH neutro, por exemplo.

Fotos da ictiose

Tipos de ictiose

Os principais tipos de ictiose incluem:

  • Ictiose arlequim: é o tipo mais grave de ictiose caracterizado pelo intenso ressecamento que pode esticar a pele e virar os lábios e pálpebras do avesso. Normalmente, os bebês com este tipo de ictiose devem ser internado na UTI logo após o nascimento;
  • Ictiose vulgar: é o tipo mais comum e leve de ictiose que causa o surgimento de pele seca, espessa e com aspeto de escamas até aos 5 anos de idade;
  • Ictiose lamelar: normalmente o bebê nasce com uma camada amarelada que escama ao longo do tempo. Ao longo da vida o paciente apresenta ressecamento na pele semelhante à ictiose vulgar;
  • Ictiose ligada ao cromossomo X: apenas surge nos meninos logo após o nascimento, provocando o surgimento de pele com escamas nas mãos, pés, pescoço, tronco ou bumbum.

Os sintomas de ictiose, geralmente, surgem logo após o nascimento, no entanto, também podem demorar até 5 anos para surgir na criança, especialmente no caso da ictiose vulgar.

Como tratar a ictiose

O tratamento para ictiose deve ser orientado por um dermatologista e, normalmente, é feito com a hidratação e esfoliação da pele através de alguns cuidados, como:

  • Aplicar um creme emoliente na pele, como Bioderma Atoderm ou Noreva Xerodiane Plus, nos 3 primeiros minutos após o banho;
  • Evitar tomar banho com água muito quente, pois seca a pele;
  • Utilizar sabonetes com pH neutro para evitar o ressecamento excessivo da pele;
  • Pentear o cabelo úmido para retirar as escamas do couro cabeludo;
  • Aplicar cremes esfoliantes com Lanolina ou Ácido lático para remover as camadas secas de pele.

Além disso, nos casos mais graves, o dermatologista pode recomendar o uso de cremes antibióticos ou remédio com vitamina A para reduzir o risco de infecções na pele e evitar o surgimento de escamas.

Se gostou desta informação leia:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade