Dieta na crise de vesícula

publicidade

A dieta na crise de vesícula ajuda a diminuir os sintomas de crise na vesícula como dor e incômodo. Essa dieta se baseia na redução de gorduras na alimentação excluindo do cardápio frituras e embutidos, por exemplo.

A alimentação é um componente do tratamento durante a crise de vesícula e não substitui o tratamento clínico prescrito pelo médico.

Os alimentos ricos em água e com pouca ou nenhuma gordura podem ser consumido durante a crise de vesícula como:

  • Todas as frutas, legumes, grãos, vegetais;
  • Leite e seus derivados, desnatados;
  • Carne de frango ou peru;
  • Água.

Além dos alimentos é importante dar preferência a cozidos e grelhados quando os alimentos são cozinhados porque essas são as formas de cozinhar que não adicionam qualquer gordura aos alimentos.

Alimentos proibidos na crise de vesícula

Os alimentos proibidos na crise de vesícula são os alimentos gordurosos como:

  • Leite integral, queijos amarelos e requeijão;
  • Chocolate, biscoitos, massa folhada;
  • Manteiga e qualquer outra gordura animal;
  • Caldo de carne, molhos prontos;
  • Carnes gordas como costeletas, linguiça, mocotó carne de pato ou ganso;
  • Miúdos como fígado, coração, rim ou moela;
  • Nozes, castanhas, amêndoas, amendoim;
  • Atum, salmão ou sardinha fresco ou enlatado.

As bebidas alcoólicas também devem ser excluídas durante a crise de vesícula.

Quem tem pedra na vesícula deve consultar um profissional de saúde como o nutricionista, nutrólogo ou endocrinologista para individualizar a dieta e orientar o melhor tratamento dietético. Porém o médico mais indicado para fazer o diagnóstico da doença, decidir o tratamento, que pode incluir medicação e/ou intervenção cirúrgica, e fazer o acompanhamento médico é o gastroenterologista.

Links úteis:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última atualização do site: 02/09/2014 Última atualização da página: 30/06/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.