Pessoas com marcapasso podem usar o celular?

PUBLICIDADE

Apesar de ser um dispositivo pequeno e simples, é importante que o paciente com marcapasso faça repouso no primeiro mês após a cirurgia e tenha consultas regularmente com o cardiologista para verificar o funcionamento do aparelho e trocar a bateria.

Além disso são necessários cuidados especiais durante a rotina diária, como:

  • Utilizar o celular do ouvido do lado contrário ao marcapasso, evitando colocar o telefone sobre a pele que recobre o aparelho no peito;
  • Aparelhos eletrônicos de música, assim como celular, também devem ser colocados a 15 cm do marcapasso;
  • Avisar no aeroporto sobre o marcapasso, para evitar passar pelo raio-X. É importante lembrar que o raio-X não interfere com o marcapasso, mas pode acusar a presença de metal no corpo, sendo ideal passar pela revista manual para evitar problemas com a fiscalização;
  • Avisar na entrada de bancos, pois o detector de metais também pode alarmar devido ao marcapasso;
  • Ficar a pelo menos 2 metros distante do micro-ondas;
  • Evitar choques físicos e pancadas sobre o aparelho.
PUBLICIDADE

Pessoas com marcapasso podem usar o celular?

Além desses cuidados, o paciente com marcapasso pode levar uma vida normal, tendo contato com todo tipo de aparelhos eletrônicos e fazendo qualquer atividade física, desde que evite agressões sobre o aparelho.

Exames médicos proibidos

Alguns exames e procedimentos médicos podem causar interferência no funcionamento do marcapasso, como ressonância magnética, ablação por radiofrequência, radioterapia, litotripsia e mapeamento eletro-anatômico.

Além disso, alguns instrumentos também estão contraindicados para esses pacientes, como o eletrocautério e o desfibrilador, devendo-se avisar a familiares e profissionais de saúde sobre o marcapasso, para que o aparelho seja desativado antes de qualquer procedimento que possa causar interferência.

Primeiro mês após cirurgia

O primeiro mês após a cirurgia de colocação do marcapasso é o período em que se deve evitar praticar atividade física, dirigir e fazer esforços como pular, carregar bebês no colo e levantar ou empurrar objetos pesadas.

O tempo de recuperação e a frequência das consultas de retorno deve ser indicado pelo cirurgião e pelo cardiologista, pois varia de acordo com a idade, o estado geral de saúde do paciente e o tipo de marcapasso utilizado, mas normalmente a revisão é feita a cada 6 meses.

Para manter o coração saudável, veja 9 plantas medicinais para o coração.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE