Corrimento na gravidez

publicidade

Em caso de corrimento na gravidez é preciso levar em consideração a cor o cheiro do corrimento porque estes detalhes podem revelar se o corrimento é perigoso ou não. Veja: Corrimento na gravidez prejudica o bebê?

Durante toda a gravidez é normal a mulher apresentar uma grande quantidade de corrimento leitoso, sem cheiro e sem cor, sendo esta situação completamente normal.

Corrimento transparente ou gelatino na gravidez

  • O que pode ser: É normal e ocorre devido as alterações hormonais e aumento do fluxo sanguíneo na região pélvica. Este corrimento é o mesmo que a mulher apresenta antes de engravidar, mas em maior quantidade e não representa nenhum risco para o bebê.
  • O que fazer: não é necessário nenhum tratamento específico além dos cuidados de higiene diários.

Corrimento amarelado na gravidez

  • O que pode ser: O corrimento amarelo, grosso, com cheiro forte pode indicar uma infecção como a tricomoníase, vaginose bacteriana, gonorréia ou clamídia e por isso deve-se informar o obstetra o quanto antes para que o tratamento seja iniciado.
  • O que fazer: É importante realizar o tratamento indicado pelo médico porque as infecções vaginais como estas podem prejudicar o bebê. Caso a grávida não trate o corrimento, a inflamação pode piorar e gerar complicações, como parto prematuro, ruptura da bolsa ou infecção pós-parto.

Corrimento marrom na gravidez

  • O que pode ser: pode indicar infecção vaginal, indicar pequeno sangramento, podendo indicar o aborto.No entanto, quando a mulher nota este corrimento no final da gravidez pode-se suspeitar de que seja o tampão mucoso, que tenha se soltado indicando que o trabalho de parto está próximo. Saiba mais: Sinais de alerta na gravidez.
  • O que fazer: Ir ao médico para que ele indique o tratamento adequado.

Corrimento esverdeado na gravidez

  • O que pode ser: Pode ser Tricomoniase.
  • O que fazer: Ir ao médico para que ele indique o antibiótico mais adequado.

Corrimento com coceira na gravidez

O corrimento branco ou leitoso, sem cheiro, mas com coceira pode ser causado pela candidíase e deve ser tratado com o remédio receitado pelo obstetra. Essa é uma situação normal durante a gravidez, que pode ser tratada com o uso de cremes vaginais como a nistatina ou o nitrato de miconazol. Saiba mais detalhes: Candidíase na gravidez.

Quando ir ao médico

Também é recomendado ir ao médico sempre que a mulher apresentar os seguintes sintomas:

  • Corrimento com cor;
  • Corrimento com cheiro:
  • Dor e ardência ao urinar;
  • Dor durante o contato íntimo;
  • Quando há suspeita de perda de sangue pela vagina;
  • Quando há suspeita de rompimento da bolsa.

Na consulta médica deve-se informar quando os sintomas começaram e mostrar a calcinha suja para que o médico confira a cor, cheiro e espessura do corrimento, para chegar ao diagnóstico e então indicar que providências deve tomar.

Como diferenciar o corrimento do rompimento da bolsa

Para diferenciar o corrimento vaginal do rompimento da bolsa deve-se levar em consideração a cor e a espessura do líquido.

  • Corrimento: É viscoso e pode ter cheiro ou cor;
  • Líquido aminótico: É bastante fluido, sem cor ou um amarelo muito clarinho, mas sem cheiro;
  • Tampão mucoso: Geralmente é amarelado, grosso, parecendo catarro ou pode ter vestígios de sangue, tendo uma coloração acastanhada sendo bastante diferentes dos corrimentos que a mulher já possa ter tido na vida. Mais detalhes em: Como identificar o tampão mucoso.

Algumas mulheres podem apresentar pequenas perda de líquido amniótico antes do trabalho de parto ter começado e por isso se houver suspeita de rompimento da bolsa é importante informar o obstetra para que ele a possa avaliar. É importante ficar atenta e colocar um absorvente para perceber a cor, a quantidade e a viscosidade da secreção.

Veja também:

publicidade