Consistência da alimentação complementar do bebê

PUBLICIDADE

A consistência da alimentação complementar do bebê deve ser adequada à sua capacidade de deglutição, e assim como a frequência da alimentação complementar está directamente relacionada com o desenvolvimento fisiológico e neuromuscular da criança.

Inicialmente as preparações devem ser de consistência pastosa como papas e purés bem cozidos e triturados. Com a erupção dos primeiros dentes e o aperfeiçoamento dos movimentos mastigatórios e de deglutição faz-se a progressão para vegetais menos triturados.

Sendo assim:

  • 6 -8 meses  - consitência pastosa (sem pedaços)
  • 9 -11 meses - consistência mole (textura macia)
  • 12- 24 meses – consitência normal (comida caseira).

A frequência das refeições complementares ao leite deve ser inicialmente 1 vez por dia e segue aumentando gradualmente até 3 incluindo lanche da tarde.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE