Como acontece a Fecundação

publicidade

A fecundação humana acontece quando um espermatozoide entra no óvulo, que geralmente fica na primeira porção da trompa de falópio, fazendo com que a mulher fique grávida. 

Um único espermatozoide atravessa sua membrana, carregando consigo 23 cromossomos não pareados. Imediatamente, esses cromossomos isolados combinam-se com os outros 23 cromossomos que existem no óvulo, passando a formar um complemento normal de 46 cromossomos, dispostos em 23 pares.

Isso dá início ao processo de multiplicação celular, cujo resultado final é o nascimento de um bebê.

Vídeo de como acontece a fecundação

Sintomas da fecundação

São sintomas da fecundação:

  • Cólica leve 
  • Corrimento cor de rosa.

Estes sintomas são muito sutis e frequentemente passam desapercebidos para a maioria das mulheres. Na maior parte dos casos, a mulher só percebe os sintomas de gravidez duas semanas após a fecundação.

Desenvolvimento embrionário

Após a fecundação, começa o desenvolvimento embrionário até o nascimento do bebê, que deve ocorrer a partir das 38 semanas de gestação.

Durante as primeiras semanas após a implantação do ovo, sua nutrição vai depender da digestão trofoblástica e da fagocitose do endométrio. Contudo, em torno da 12ª semana de gravidez, a placenta já se desenvolveu o suficiente para que possa, daí por diante, suprir todos os nutrientes que forem necessários.

Placenta

A placenta é formada por um componente materno de grandes e múltiplas camadas, chamadas de seios placentários, por onde flui continuamente o sangue materno; por um componente fetal que é representado, principalmente, por uma grande massa de vilosidades placentárias, que proeminam para o interior dos seios placentários e por cujo interior circula o sangue fetal.

Os nutrientes difundem desde o sangue materno através da membrana da vilosidade placentária para o sangue fetal, passando pelo meio da veia umbilical para o feto.

Os excretas fetais como o gás carbônico, a ureia e outras substâncias, difundem do sangue fetal para o sangue materno e são eliminados para o exterior pelas funções excretoras da mãe. A placenta secreta quantidades extremamente elevadas de estrogênio e de progesterona, cerca de 30 vezes mais estrogênio do que é secretado pelo corpo lúteo e cerca de 10 vezes mais progesterona.

Esses hormônios são muito importantes na promoção do desenvolvimento fetal. Durante as primeiras semanas de gravidez, um outro hormônio também secretado pela placenta, a gonadotrofina coriônica, que estimula o corpo lúteo, fazendo com que continue a secretar estrogênio e progesterona durante a primeira parte da gravidez.

Esses hormônios do corpo lúteo são essenciais para a continuação da gravidez durante as primeiras 8 a 12 semanas. Após esse período, a placenta secreta quantidades suficientes de estrogênio e progesterona para assegurar a manutenção da gravidez.

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última atualização do site: 29/08/2014 Última atualização da página: 30/03/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.