Saiba identificar os sinais de câncer no fígado

O  câncer no fígado é um tipo de câncer bastante agressivo que tem maiores chances de cura quando é identificado precocemente, ou seja, durante o estágio I ou II de desenvolvimento.

Geralmente, este tipo de câncer começa no revestimento dos canais biliares no fígado ou na vesícula biliar e causa sintomas como mal-estar geral, inchaço da barriga e dor intensa localizada no lado direito do abdômen. 

Quando não é possível alcançar a cura do câncer no fígado, o tempo de sobrevida é de aproximadamente 5 anos, mas esse valor pode variar de acordo com o grau de desenvolvimento da doença e outras doenças do paciente.

Saiba identificar os sinais de câncer no fígado

Sinais que podem indicar câncer

Os sintomas mais comuns do câncer no fígado incluem:

  1. Dor na barriga, especialmente no lado direito do abdômen;
  2. Inchaço da barriga;
  3. Perda de peso sem causa aparente;
  4. Cansaço excessivo;
  5. Pele e olhos amarelados;
  6. Enjoos constantes

Infelizmente estes sintomas normalmente surgem quando o câncer já está bem desenvolvido e, por isso, na maioria dos casos, o câncer de fígado só é descoberto numa fase avançada, o que diminui as suas chances de cura.

Assim, quando existem fatores de risco, como consumo excessivo de álcool ou doenças no fígado, é importante fazer consultas regulares no hepatologista para avaliar frequentemente o fígado e observar alterações que possam surgir.

O que fazer em caso de suspeita

Nos casos em que surge algum destes sintomas, ou existem muitos fatores de risco, é aconselhado consultar um hepatologista para fazer exames de diagnóstico, como raio X do abdômen, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, para confirmar se existem alterações que possam indicar a presença de câncer.

Se forem identificadas alterações, o médico pode pedir uma biópsia de um pedaço de fígado para comprovar em laboratório se existem células cancerígenas no órgão.

Quem tem maior risco

Este tipo de câncer é mais comum em pessoas com:

  • Infecção crônica com Hepatite B ou Hepatite C;
  • Cirrose;
  • Diabetes;
  • Gordura no fígado;
  • Consumo excessivo de álcool.

Além disso, casos de colite ulcerativa ou de colangite esclerosante de longa duração também podem desenvolver câncer no fígado mais facilmente.

Como é feito o tratamento

Em quase todos os casos, o tratamento do câncer de fígado é feito com cirurgia para retirar toda a área afetada. Porém, pode ser necessário fazer quimioterapia ou radioterapia antes da cirurgia para diminuir o tamanho do câncer e facilitar a sua remoção.

Nos casos mais graves, em que o câncer está muito desenvolvido ou se espalhando para outros órgãos, a quimioterapia e a radioterapia também podem ser utilizadas apenas depois da cirurgia para tentar eliminar as células cancerígenas restantes.

Se existir outra doença, como cirrose, a remoção de um parte do fígado pode ser mais complicada e, por isso, o médico pode recomendar um transplante de fígado para tentar alcançar a cura. Saiba mais sobre essa forma de tratamento.

Mais sobre este assunto: