Amamentação

publicidade

A amamentação é o ato de alimentar o bebê com o leite materno, vindo diretamente da mama. O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde alertam que a amamentação deve ser exclusiva até os 6 meses e que a mãe continue amamentando até que a criança desmame sozinha.

Durante os 6 primeiros meses do bebê é normal que a menstruação da mãe que amamentou em livre demanda não venha antes desta data.

Benefícios da amamentação

A amamentação traz inúmeros benefícios para a mãe e para o bebê. Alguns dos benefícios da amamentação são:

  • Previne doenças;
  • Diminui a mortalidade;
  • Bebê terá menos chances de ter alergias;
  • Diminui a cólica dos primeiros meses;
  • Acalma o bebê;
  • O leite está na temperatura correta;
  • Não é necessário esterilizar nenhum utensílio;
  • Combate a hemorragia pós parto;
  • Facilita a perda de peso;
  • Diminui o risco de câncer de mama, endométrio e de ovário.

Além destes benefícios, o leite materno é gratuito e é o melhor alimento para o bebê pois contém todos os nutrientes que ele precisa para crescer.

Horários da amamentação

Quanto aos horários da amamentação o ideal é que a ela seja feita em livre demanda, isto é, sempre que o bebê quiser. Inicialmente o bebê poderá ter a necessidade de mamar a cada 1h30 ou 2h durante o dia, e a cada 3 a 4 horas à noite. Aos poucos sua capacidade gástrica irá aumentando e já será possível comportar uma quantidade maior de leite aumentando o espaço de tempo entre as mamadas.

Existe um consenso geral de que o bebê não deve passar mais de 3 horas sem mamar, mesmo durante a noite até os 6 meses de vida. Recomenda-se que se ele estiver dormindo a mãe acorde-o para mamar e se certifique que realmente mamou, pois alguns dormem durante a amamentação.

A partir dos 6 meses de vida, o bebê já poderá comer outros alimentos e poderá dormir a noite toda. Mas cada bebê têm seu próprio ritmo de crescimento e cabe a mãe a decisão de dar de mamar de madrugada ou não.

Quando parar a amamentação

Saber quando parar a amamentação é uma dúvida comum de praticamente todas as mães. A Organização Mundial da Saúde recomenda que a amamentação seja exclusiva até os 6 meses do bebê e que se prolongue pelo menos até os 2 anos de idade.A mãe pode parar a amamentação a partir desta data ou esperar que o bebê decida não querer mamar mais.

A partir do 6 meses o leite já não fornece a quantidade de energia suficiente de que o bebê precisa para desenvolver-se e é nesta fase que há a introdução dos novos alimentos.

Por volta dos 2 anos de idade além do bebê já comer praticamente tudo o que um adulto come, ele também já será capaz de encontrar conforto em outras situações que não seja o seio da mãe, que para ele inicialmente representa um porto seguro.

Problemas comuns na amamentação

Os problemas mais comuns na amamentação podem ser:

  • Bico do seio rachado: Causado pela má posição em que o bebê mama e pelo ressecamento do mamilo, pode ser facilmente resolvido com ajuda de uma enfermeira.
  • Bico do seio invertido: Não é exatamente um problema pois o bebê precisa abocanhar a auréola e não o bico do seio, por isso mesmo que a mulher tenha o bico do seio invertido ou muito pequeno ela conseguirá amamentar.
  • Dor na amamentação: Ela pode ser causada pelas rachaduras na mama ou pelo excesso de leite e pode ser resolvida com a pega correta do bebê, uso de uma pomada de lanolina no mamilo e com a extração do leite.
  • Febre na amamentação: A mãe pode amamentar mesmo estando com febre. Mas se tiver que tomar algum remédio deve ler na bula se este passa para o leite e se passar, não deve amamentar o bebê.
  • Leite empedrado: Ao colocar uma compressa de água morna sobre o seio e dar de mamar ao mesmo tempo o leite sairá com mais facilidade.
  • Pouco leite: O consumo de alimentos ricos em água e em gordura de fonte animal ajudam a produzir mais leite. Beber 3 litros de água por dia é fundamental para garantir uma boa produção de leite.
  • Queda de cabelo: Quando o bebê completar 4 meses, por uma questão hormonal a mãe sofrerá uma queda de cabelo antes não observada. Isso ocorre amamentando ou não.
  • Silicone e amamentação: As mulheres que colocaram uma prótese de silicone no seio podem amamentar sem problemas. É raro uma mulher com silicone não conseguir amamentar, mas é uma complicação que pode ocorrer dependendo de como foi a cirurgia.

Apesar dos problemas que possam aparecer durante a amamentação, a amamentação é uma experiência materna insubstituível, pois ninguém o pode fazer pela mãe.

Links úteis:

publicidade
Dicas por Email

Dicas Grátis de Saúde, Nutrição, Emagrecimento e muito mais.

publicidade

Atenção: O Tua Saúde é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre de temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Última atualização do site: 24/10/2014 Última atualização da página: 27/03/2014
© 2007 - 2014 Tua Saúde - Todos os direitos reservados.